Universidade Estadual da Paraíba inaugura o Biotério Professor Eduardo Barbosa Beserra, no Câmpus I

12 de dezembro de 2020

Destinado à criação e à manutenção de animais de laboratório em condições sanitárias, dentro de padrões estabelecidos para serem utilizados em pesquisas científicas e na preparação de produtos biológicos, o Biotério da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) foi inaugurado na manhã desta sexta-feira (11). O espaço de pesquisa, que recebeu o nome do Professor Eduardo Barbosa Beserra, foi aberto oficialmente pelo reitor da UEPB, professor Rangel Junior, e contou com as participações do secretário de Educação do Estado da Paraíba, Cláudio Furtado; do presidente da Biotec, Luciano Foianesi; da pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UEPB, professora Maria José Lima; e do coordenador do biotério, Joel Majerowicz.

O Biotério da UEPB tem 13 salas de trabalho, quatro vestiários, quatro higienizadores, espaço para almoxarifado e sala de máquinas. A colônia de animais formada no Biotério da UEPB é a de camundongos S.P.F. (livres de agentes patogênicos especificados). Eles são animais de alta qualidade e corresponderão para o desenvolvimento científico de várias pesquisas. O reitor da UEPB, professor Rangel Junior, destacou a importância de um equipamento como esse, bem como do investimento que precisou ser feito para que o espaço tivesse todas as certificações necessárias para funcionar, além da aquisição de animais de alta qualidade para o desenvolvimento científico das pesquisas.

“O investimento que fizemos no Biotério nesses últimos anos já foi maior do que o empregado na construção do prédio. A UEPB investiu na possibilidade de desenvolvimento de um polo tecnológico voltado para a Saúde. Esse é o grande retorno do desenvolvimento da ciência para uma cidade que é destaque na área de tecnologia aplicada à saúde. Essa estrutura vai ajudar a potencializar as capacidades que nós temos e, quem sabe, daqui há um ano, vacinas possam ser testadas aqui a partir de testes clínicos. Estamos dando um passo importante para a formação de nossos estudantes que terão acesso a um espaço de qualidade e com tecnologia de ponta”, destacou Rangel Junior.

O secretário de Educação do Estado da Paraíba, professor Cláudio Furtado, parabenizou a gestão da Universidade Estadual pela inauguração de um equipamento desse porte, pela representatividade que o espaço tem, além da superação administrativa, uma vez que a manutenção de um Biotério alcança altos valores. Cláudio projetou que a entrega desse espaço de pesquisa coloca a UEPB como uma referência na região Nordeste no desenvolvimento de pesquisas de ponta. “Para que as pesquisas na área de tecnologia da saúde sejam realizadas, é essencial a existência de animais de altíssima qualidade e um biotério que segue esses padrões. O funcionamento desse biotério é um passo muito importante para o desenvolvimento de pesquisas importantes dentro da UEPB”, afirmou o secretário.

A pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, professora Maria José Lima, também apontou o salto na qualidade que as pesquisas que são realizadas na UEPB terão com o biotério, bem como aquelas que, com o novo equipamento, passam a ser possíveis. De acordo com ela, o investimento feito para viabilizar este espaço de pesquisa será justificável muito em breve, quando da produção de vacinas responsáveis pela erradicação de várias doenças, a exemplo da raiva, tétano, sarampo, difteria, entre outras. “Os alunos dos cursos de Ciências Biológicas, Farmácia, Odontologia e Psicologia poderão participar diretamente dos projetos científicos e de extensão que serão desenvolvidos no local. Aqui, todas as atividades acompanharão fielmente as diretrizes de segurança”, assegurou Maria José.

O presidente da Biotec, empresa especializada na gestão de equipamentos desse porte, Luciano Foianesi, destacou o trabalho em conjunto que está sendo feito com a UEPB, uma vez que é um desafio muito grande oferecer à comunidade universitária um biotério com tecnologia de ponta. “Levando em consideração que a produção de animais de altíssima qualidade pode tornar o biotério sustentável, não só na venda de animais, mas também no sentido de que toda pesquisa que for desenvolvida na UEPB será com espécimes de qualidade assegurada. As primeiras fêmeas já começaram a parir e, em breve, teremos uma quantidade boa de animais para que as pesquisas comecem a caminhar”, projetou Luciano Foianesi.

Também participaram da inauguração do Biotério Professor Eduardo Barbosa Beserra o diretor do Centro de Ciências, Tecnologia e Saúde (CCTS), professor Manuel Antônio Gordón-Nuñes, e o professor Carlos Meneses, coordenador geral de pesquisas da UEPB.

Texto: Givaldo Cavalcanti
Fotos: Paizinha Lemos e Tatiana Brandão