UEPB promove entrega de medalhas aos alunos premiados na Olimpíada Nacional de Ciências de 2019

9 de março de 2020

Com o curso de Química formando professores há décadas, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) premiou, na tarde da última sexta-feira (6), em solenidade realizada no Auditório III da Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, os estudantes melhores colocados na Olimpíada Nacional de Ciências, oriundos das redes privadas e pública de ensino, que disputaram com sucesso a edição 2019. Ao todo, 94 estudantes receberam suas medalhas de bronze, prata e ouro. A premiação foi para alunos do 9º Ano do Ensino Fundamental até o 3º Ano do Médio.

A cerimônia de entrega das medalhas reuniu estudantes, familiares, professores e diretores das escolas participantes. Um dos destaques foi o estudante Marcos André Lima que, no ano passado, estudava no 3º ano do Ensino Médio, no Colégio Evolução, de João Pessoa, e acabou conquistando medalha de ouro. Em sua primeira participação em uma Olimpíada de Química, o resultado não poderia ter deixado de surpreender o aluno, segundo ele mesmo confirmou.

“Eu não esperava que conquistasse esse resultado. Para mim foi uma surpresa mesmo. Sempre gostei muito de Química e quis fazer essa olimpíada para poder me preparar mais para o Enem. Já que meu objetivo era entrar em Medicina, sabia que tinha que estudar muito. E isso me ajudou muito, já que consegui ingressar no curso que queria e sei que daqui para frente terei que me aprofundar ainda mais no estudo da Química”, relatou Marcos André.

De acordo com o professor Francisco Dantas, coordenador da Olimpíada Paraibana de Química e também da de Ciências, a participação dos alunos nessas competições tem sido surpreendente, o que faz com que todos acreditem que a cada ano os resultados serão melhores. “Além de parabenizar todos esses alunos, quero agradecer a dedicação e esforço que todos tiveram. Vamos cada vez mais incentivar a participação nessas olimpíadas, porque muitas universidades estão convidando os alunos para ingressarem nelas devido aos resultados nessas disputas pedagógicas”, disse Dantas.

Outra aluna medalhista foi Allynne Porto, 16 anos, que na época da disputa estava no 1º Ano. Estudante do Instituto Paraibano de Educação, em João Pessoa, ela conquistou a medalha de bronze em sua primeira Olimpíada de Química. Tal resultado fez com que ela se interessasse ainda mais pela disciplina, já que, segundo ela, seu objetivo é Engenharia Aeroespacial. “Eu gosto muito de Química e sei que preciso estudar ainda mais para conquistar meu sonho. Fiquei muito surpresa e feliz com a medalha. Agora é continuar estudando para tentar as próximas que virão”, projetou.

A Olimpíada Nacional de Ciências integra o Programa Ciência na Escola (PCE), que envolve um compromisso pelo aprimoramento do Ensino de Ciências na educação por parte do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Ministério da Educação (MEC), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O Programa será gerenciado, monitorado e avaliado, com resultados disponibilizados em Portal construído pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

Ainda nesta solenidade foram entregues as medalhas de bronze para os alunos participantes da Olimpíada Brasileira de Química Júnior de 2019, que estavam em idade escolar do 9º Ano do Ensino Fundamental. Também participaram do evento a presidente do Conselho Regional de Química da 19ª Região, Lúcia Raquel de Lima; a professora do Departamento de Química da UEPB, Fátima Nascimento; e o professor Mozart Edson, representante dos docentes das escolas públicas da Paraíba.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti