UEPB firma parceria para transmissão de eventos alusivos aos 40 anos da Academia de Letras de Campina Grande

6 de abril de 2021

A Academia de Letras de Campina Grande (ALCG) está completando 40 anos de existência. Reconhecendo a importância cultural dessa instituição, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através da Coordenadoria de Comunicação (CODECOM), firmou uma parceria para a transmissão de quatro eventos comemorativos. As atividades serão realizadas sempre às sextas-feiras, a começar pelo dia 9, seguindo nos dias 16, 23 e 30 de abril, a partir das 19 horas, com transmissão ao vivo através do canal Rede UEPB no YouTube, e pelo Facebook UEPB Oficial.

Durante o evento serão homenageados vários dos membros da ALCG, entre ex-presidentes e fundadores da entidade, com destaque ainda para Leônia Leão e Juarez Farias, escritores recentemente falecidos. Na ocasião serão declarados vacantes as respectivas cadeiras 3 e 13. Além das homenagens, a programação virtual envolverá alguns dos seus principais membros efetivos através de palestras, painéis comemorativos e lançamentos de livros. Nos seus quarenta anos de existência alguns dos principais nomes da literatura campinense foram membros efetivos da ALCG, a exemplo de Ronaldo Cunha Lima, José Laurentino, Antônio Vital do Rêgo, Molina Ribeiro, Amaury Vasconcelos e Lourdes Ramalho.

A Academia de Letras de Campina Grande (ALCG) foi criada no dia 9 de abril de 1981. Idealizaram e ajudaram a fundar a instituição o professor Amaury Araújo de Vasconcelos; o cônsul do Líbano, José Noujaim Habib; os acadêmicos Elizabeth Marinheiro e Epitácio Soares; o então reitor da Universidade Regional do Nordeste, Antônio Vital do Rego; Aluísio Campos; o Bacharel Ricardo Soares; os jornalistas William Tejo, Leônia Leão; José Leite Sobrinho; as professoras Wanda Elizabeth, Déa Cruz e Elizabeth Vasconcelos; a jornalista Molina Ribeiro; e Ademar Martins; a professora Lourdes Ramalho; e o economista Raimundo Lira. Atualmente a Academia é presidida pelo professor e historiador Josemir Camilo de Melo.

Texto: Severino Lopes