Seminário ajuda pesquisadores da UEPB a ampliar internacionalização das produções acadêmicas

23 de fevereiro de 2017

Como uma das 30 instituições do país contempladas com o Edital do Fundo Newton, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através do Mestrado em Química, realizou nesta quinta-feira (23) o Seminário de Publicação Workshop Researcher Connect. O evento organizado pela Sociedade Acadêmica Royal SocietyOf Chemistry (RSC) e direcionado principalmente a pesquisadores da área de Química, aconteceu ao longo de todo o dia, sob a coordenação da representante no Brasil da Royal Society of Chemistry, a psicóloga Elizabeth Magalhães.

A palestrante mostrou aos pesquisadores como a instituição atua no processo de divulgação dos trabalhos desenvolvidos por pesquisadores de todo o país. Elizabeth também destacou a importância do evento realizado pela UEPB, visto que das 30 instituições contempladas com o Edital do Fundo Newton, apenas três tiveram direito a evento extra. Inicialmente ela procurou entender a realidade e o funcionamento da Universidade para, posteriormente, oferecer ferramentas de melhorias para o trabalho que está sendo desenvolvido pelos pesquisadores da Instituição. Ela se disse surpresa com o trabalho desenvolvido pela UEPB e pelo nível de conhecimento dos pesquisadores.

Presente no seminário, a gerente de projetos acadêmicos do British Council, Camila Almeida, reafirmou que tanto o Workshop Researcher Connects como o Seminário tiveram como objetivos apresentar as publicações em jornais do Royal Society Of Chemistry e mostrar um pouco do processo de avaliação. “É meio como o caminho das pedras para que eles publiquem seus trabalhos. O evento é para explicar como é o formato dos jornais, o conteúdo que deve ser utilizado, entre outras informações privilegiadas”, comentou.

Para ela, os eventos contribuirão para a UEPB aumentar sua produtividade e garantir mais inserção internacional no mundo da Química. Isso porque, segundo ela, “uma vez que a Universidade capacita os pesquisadores para publicarem seus trabalhos, naturalmente terá maior visibilidade internacional. Isso faz parte de um processo maior de internacionalização”, explicou Camila.
Texto: Adriana Ferreira e Marcos Morais (Estagiários)
Fotos: Franklin Bonfim