Produtos higiênicos e medicinais fabricados na Farmácia Escola são utilizados nas Clínicas da UEPB

25 de abril de 2016

As Clínicas Escolas de Fisioterapia, Odontologia, Enfermagem e Psicologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, já estão utilizando os produtos fabricados pela Farmácia Escola da Instituição a partir de plantas medicinais. A unidade, que funciona no prédio das Três Marias, no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), consiste em uma “oficina de remédios” onde os estudantes do curso de Farmácia aprendem na prática as técnicas de manipulação de medicamentos.

Na Farmácia Escola são fabricados quatro produtos que surgiram como resultado do projeto de extensão “Análise e Aplicabilidade de Formas Farmacêuticas Produzidas com Plantas Medicinais para as Clínicas da UEPB”. Estão sendo fabricados atualmente, sabonete líquido, enxaguante bucal, álcool em gel e óleo para massagens. O material é manipulado sob encomenda para atender as necessidades das Clínicas Escolas e atende as exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com a professora Rossandra Miranda, coordenadora do projeto, nos últimos meses a maior procura tem sido pela produção do álcool em gel e do sabonete líquido, devido a preocupação com a prevenção contra o vírus Influenza H1N1. Como forma de impedir o vírus de entrar na UEPB, a coordenação da Farmácia Escola também distribuiu o sabonete líquido nos banheiros do Câmpus de Bodocongó e na Praça de Alimentação, para ser usado por professores, alunos e técnicos administrativos. O produto também será distribuído no Restaurante Universitário.

Um dos produtos que tem feito sucesso é o óleo de lavanda, que tem sido usado para acalmar e diminuir o estresse dos pacientes da Clínica de Fisioterapia. Os efeitos da aplicação do óleo tem surpreendido os estudantes e professores responsáveis pelo atendimento. Considerado relaxante, o óleo ajuda a diminuir a tensão e acelerar o tratamento dos pacientes que recorrem a clínica. A matéria-prima utilizada para produzir os quatro produtos são plantas medicinais populares como cajueiro roxo, barbatimão, alecrim,  camomila e lavanda.

A professora Rossandra Miranda destaca que o espaço físico e os produtos fabricados no Laboratório seguem as normas regulamentadoras da Anvisa. Uma portaria do órgão federal regulamenta o uso de plantas fitoterápicas com base no conhecimento popular. A coordenação da Farmácia também segue outra norma técnica da Anvisa, que regulamenta o processo de manipulação da matéria-prima. Todo trabalho é supervisionado pela farmacêutica Naiana Gondim. A produção é semanal e em pequenas quantidades e o material manipulado é embalado e rotulado na própria Farmácia Escola. A demanda semanal é solicitada pelas clínicas da UEPB.

A professora Rossandra Miranda, que também é a coordenadora da Farmácia Escola, ressalta que o projeto não tem pretensão de produzir em grande escala, visto que funciona como oficina de remédios e não como indústria. Além de garantir produção de material para uso interno na Universidade, a Farmácia Escola também proporciona estágio e campo de pesquisa para os estudantes do curso de Farmácia. O Estágio Supervisionado em Medicamentos é disciplina obrigatória a partir do 9º período do curso e para aqueles graduandos que estão em projetos de extensão. Atualmente 20 estudantes estão envolvidos no projeto, sendo 15 bolsistas e cinco voluntários.

Texto: Severino Lopes