PET Saúde Interprofissionalidade inicia atividades com debates sobre trabalho colaborativo e atribuições do programa

20 de março de 2019

O Programa PET Saúde Interprofissionalidade, desenvolvido, em Campina Grande, através de parceria entre a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e a Secretaria Municipal de Saúde, iniciou suas atividades na última terça-feira (19), em evento realizado na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) e que reuniu as instituições paraibanas participantes do programa.

A abertura dos trabalhos do PET Saúde Interprofissionalidade se deu com debate sobre as bases conceituais para o trabalho colaborativo, bem como sobre os objetivos, a execução, as atribuições e as experiências da educação interprofissional em Saúde. A professora Rilva Suely, que coordena o programa no âmbito da UEPB, participou do evento inaugural que contou, ainda, com a participação do coordenador nacional do grupo assessor de avaliação do PET, Marcelo Viana Costa, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Também participaram da abertura do programa, representando a UEPB, as professoras Socorro Barbosa, pró-reitora adjunta de Extensão, e Kátia Simone Santos, coordenadora do curso de Odontologia da Instituição. O evento contou, ainda, com as presenças de Valquíria Nogueira (CCBS/UFCG), Franklin Delano (UFPB), Alarcon Agra (UFCG), Edna Guedes (Departamento de Atenção à Saúde da SMS Campina Grande), Carmem Dolores (CCBS/UFCG) e Gracielle Malheiros (UFCG Cuité).

Coordenadores de cursos e professores tutores dos cursos de Educação Física, Psicologia, Farmácia, Odontologia, Fisioterapia, Enfermagem e Serviço Social da UEPB, bem como dos cursos de Medicina, Enfermagem, Psicologia, Nutrição e Biologia da UFPB também estiveram presentes na abertura integrada.

As ações do programa terão início prático no dia 1º de abril e se estendem até abril de 2021. Na Universidade Estadual da Paraíba, o PET Saúde Interprofissionalidade tem 67 membros, com 56 bolsas, distribuídas entre 11 professores, 30 alunos do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e do curso de Serviço Social, 16 preceptores de Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) de Campina Grande, além de professores e 10 alunos voluntários.

O programa

O PET Saúde Interprofissionalidade consiste em uma proposta inovadora, com a finalidade de dar continuidade à promoção de iniciativas para o fomento de processos de integração ensino/serviço/comunidade, envolvendo docentes, estudantes de graduação e profissionais de saúde para o desenvolvimento de atividades na rede de serviços de saúde. Essa edição prioriza o tema da Educação Interprofissional (EIP), sendo uma abordagem reconhecida pela Organização Mundial da Saúde(OMS) com comprovada capacidade para melhorar a qualidade dos sistemas de saúde, tornando os serviços de saúde mais resolutivos, a partir do desenvolvimento de práticas profissionais mais colaborativas.

O programa contempla projetos que se proponham a desenvolver mudanças curriculares alinhadas às Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) para todos os cursos de graduação na área da saúde; qualificação dos processos de integração ensino/serviço/comunidade, de forma articulada entre o SUS e as instituições de ensino, de modo a promover a Educação Interprofissional e as práticas colaborativas em Saúde. Os projetos atuam como pontos de fomento e organização das ações de integração ensino/serviço/comunidade no território, com vistas a articular suas ações com a de outros projetos que contribuem para fortalecer mudanças na formação de graduação em consonância com as complexas necessidades em saúde, requeridas para o SUS.

As ações desenvolvidas pelos projetos envolvem atores do SUS e da comunidade acadêmica, com foco na interprofissionalidade, interdisciplinaridade, intersetorialidade, trabalho em rede, integração ensino/serviço e diversificação dos cenários de práticas como prerrogativas para mudanças na dinâmica do trabalho em saúde, fortalecendo o conceito de humanização do cuidado e o princípio da integralidade da assistência no contexto das redes colaborativas na formação para o SUS.

Texto: Tatiana Brandão
Fotos: Divulgação