Palestra sobre empreendedorismo e exposição de tecnologias marcam abertura da Agrotec 2017

25 de outubro de 2017

Como forma de marcar a passagem dos 55 anos de existência da Escola Agrícola Assis Chateaubriand (EAAC), vinculada a estrutura do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no Câmpus de Lagoa Seca, teve início nesta quarta-feira (25) a edição 2017 da Agrotec, com a temática “Jovem Empreendedor Rural”.

Durante a abertura do evento, o professor José Félix, diretor da EAAC, ressaltou que a iniciativa tem como finalidade expor as tecnologias produzidas no Câmpus II, através dos cursos técnicos de Agropecuária e Agroindústria, além do Bacharelado em Agroecologia, mostrando como a Universidade pode ajudar a impulsionar a agricultura na região.

Além dos produtos e tecnologias desenvolvidas pelos cursos do Câmpus II, a Agrotec 2017 também reúne máquinas, inventos e equipamentos agrícolas pertencentes às empresas parceiras, como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Empresa Estadual de Pesquisa Agropecuária da Paraíba (Emepa) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Agricultores e artesãos da região também estão expondo na Mostra.

No total, 20 stands foram montados para a exposição e comercialização dos produtos produzidos no Câmpus II, por agricultores da região e pelos parceiros. Duas palestras, a realização de 13 minicursos e algumas oficinas integram a programação do evento. O destaque do primeiro dia da Agrotec ficou por conta da palestra “O Jovem Empreendedor”, proferida pelo consultor do Sebrae, Roberto Braga de Oliveira.

Roberto traçou um perfil dos empreendedores e forneceu algumas informações que podem ajudar os jovens que pretendem investir no próprio negócio no campo. Com vasta experiência na área, ele ressaltou que as principais ferramentas são atitude, inovação, ousadia, coragem e criatividade para superar as crises. “Eles também devem procurar ser dinâmicos e apresentar o diferencial em seus negócios. A inovação é uma exigência constante”, enfatizou, acrescentando que existe muito espaço para o empreendedorismo rural.

A partir dos dados de uma pesquisa, o especialista revelou que 67% dos jovens sonham em ter o próprio negócio, mas que precisam buscar capacitação. Roberto destacou que a Universidade faz a sua parte ao fornecer os conhecimentos e as técnicas, mas os candidatos a empreendedores precisam ter noção de gerenciamento, para não fadar ao fracasso. Em sua palestra, o consultor também falou das exigências do mercado, como o domínio da tecnologia e pelo menos dois idiomas, e frisou que empreender requer preparação para gerir o futuro negócio.

No período da tarde houve a palestra “Apicultura e Empreendedorismo”, sob a responsabilidade do pesquisador do Emepa, Leon Denis Batista do Carmo, que falou sobre a importância da apicultura como fator econômico, usando uma tecnologia simples e acessível a todos. “A apicultura pode e deve ser voltada para a geração de renda”, salientou.

Após a abertura oficial da Agrotec 2017, os participantes acompanharam a Mostra. Os produtos e tecnologias desenvolvidas pelos cursos existentes no Câmpus II chamaram a atenção dos visitantes. O recém-criado curso técnico em Agroindústria levou para a Agrotec produtos fabricados nas unidades de beneficiamento como geleia, doces, conservas, linguiça bovina e hambúrguer.

Regina Rodrigues é estudante do curso e disse que a Agrotec consiste em uma grande oportunidade para dar visibilidade às atividades práticas do curso. “Estamos mostrando um pouco do que produzimos nas aulas práticas”, frisou. No stand montado pelos estudantes do Bacharelado em Agroecologia, foram expostos produtos oriundos das aulas de campo, como alface, tomate, coentro, pimentão, batata, entre outros. “Estamos repassando as tecnologias que temos na Universidade e levando ao produtor rural”, explicou o estudante Thiago Castro.

Em outro stand foi apresentada a tecnologia de “Aquaponia”, que pode ser usada pelos produtores para a captação de água e irrigação do solo para o cultivo de hortaliças e para a criação de peixe. O estudante Carlos Alberto ressaltou que a tecnologia desenvolvida pelo curso de Agroecologia é simples e pode ser usada por qualquer agricultor.

O curso técnico em Agropecuária está expondo na mostra o que existe de melhor nos setores de Cunicultura, Corturnicultura, Bovinocultura, Caprinovinocultura, além do projeto “Hidroponia”. Na parte aviária, foram expostos coelhos, codornas, galinhas e gansos. No espaço sobre caprinos foram expostas algumas cabras, enquanto na área reservada para a Bovinocultura foram expostos alguns animais. “Aqui está exposto um pouco do que a gente estuda durante o ano no curso”, observou o estudante Rafael Oliveira.

A Agrotec 2017 segue nesta quinta-feira (26), com os minicursos e treinamentos nas áreas Agrícola, Pecuária, Agroindustrial e Agroecológica.

 

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos