Empossados novos diretores do Centro de Ciências Humanas e Agrárias e da Escola Agrotécnica do Cajueiro

1 de abril de 2016

Posse e Inauguração (5)

Em solenidade presidida pelo reitor Rangel Junior e prestigiada por professores, servidores técnicos administrativos, estudantes, e pró-reitores, foram empossados nesta quinta-feira (31) os novos gestores do Câmpus IV da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Catolé do Rocha. A cerimônia aconteceu no Auditório do Câmpus IV, em um dia em que os novos dirigentes falaram de lutas, desafios, conquistas e vontade de fazer o melhor pela comunidade universitária sertaneja. Também participaram da posse o secretário de Educação do município, Jailsom José Silva, e o diretor do Instituto Federal da Paraíba (IFPB), Caetano José de Lima.

Reeleitos para um segundo mandato, tomaram posse para os cargos de diretor e diretor adjunto do Centro de Ciências Humanas e Agrárias (CCHA), os professores Edivan Silva Nunes Júnior e Rômulo César Araújo Lima, respectivamente. A direção da Escola Agrotécnica do Cajueiro, agora tem como gestoras a professora Kelina Bernardo Silva, empossada como diretora, e a professora Maria do Socorro Caldas Pinto, diretora adjunta.

Em um discurso de despedida, o professor Pedro Ferreira Neto fez um agradecimento emocionante a toda a comunidade universitária e desejou boa sorte às novas gestoras. Ao entregar o cargo, o professor Pedro, que tem 34 anos dedicados a Escola Agrotécnica do Cajueiro, fez um balanço de sua trajetória em prol da instituição e falou das principais lutas empregadas para estruturar e consolidar o Câmpus IV. Pedro enfatizou que o reitor Rangel Junior esteve presente em todas as lutas, sempre empenhado em levar benefícios para o Câmpus de Catolé do Rocha.

Empossado pela segunda vez como novo diretor do CCHA, o professor Edvan Silva Nunes recordou o dia em que assumiu a missão de gerir o Câmpus IV dois anos atrás, atendendo a confiança depositada pela comunidade acadêmica. Ele disse que nesse período procurou corresponder aos anseios da comunidade universitária e falou de algumas conquistas obtidas graças ao esforço da Administração Central, mesmo em tempos de crise financeira.

Edvan Silva Nunes disse que estava encarando a missão de conduzir pela segunda vez o Câmpus IV como um novo desafio e prometeu ainda mais comprometimento nessa nova etapa de trabalho. Ele afirmou que o principal desafio no segundo mandato é fortalecer os cursos de graduação e técnico já existentes, além de promover a criação dos novos cursos que estão em andamento. “Entendemos que o Câmpus IV hoje tem uma potencialidade enorme e nos dois primeiros anos que passamos a frente dessa instituição, eu e professor Rômulo conseguimos promover melhorias e vamos avançar”, disse.

A nova diretora da Escola Técnica do Cajueiro, Kelina Bernardo Silva, também encarou a missão que lhe foi confiada pela comunidade universitária como um desafio. Ela reafirmou o seu compromisso em trabalhar pela Instituição e reconheceu o esforço dos diretores anteriores. A professora também pediu o apoio dos ex-gestores para continuarem colaborando com a Escola, no sentido de garantir a concretização de novos projetos, principalmente para ampliar o ensino gratuito de qualidade para jovens e adultos. Como metas ela elencou quatro pontos: luta por um espaço de lazer e convivência, buscar a autonomia da escola, apoiar a banda de música e trabalhar em sintonia com a direção do Câmpus.

Presidente da cerimônia, o reitor Rangel Junior também fez um discurso contudente e lembrou que o ato de posse é sempre importante na vida da Universidade e, por isso, ele sempre fez questão de se fazer presente. O reitor agradeceu aos ex-dirigentes e desejou sorte aos novos gestores, reafirmando o compromisso da gestão de continuar colaborando para o avanço das melhorias do Câmpus IV.

“Esses são momentos propícios para se fazer uma reflexão e renovar compromissos publicamente. Esses são momentos de virada política, de retomada de projetos, de mudanças de hábitos e de práticas”, destacou Rangel Junior, lembrando que a UEPB hoje vive um momento especial com a comunidade universitária, tendo a compreensão da busca pela construção de um diálogo político e administrativo, sempre visando o bem da Instituição. Ele lembrou que a construção desse diálogo é importante para que a gestão possa, em pouco tempo, impulsionar e planejar as ações no campo acadêmico do Câmpus IV.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos