Empossados novos gestores de direção, departamentos e curso do Centro de Ciências Jurídicas da UEPB

8 de abril de 2016

CCJ (1)

Tomaram posse na manhã desta sexta-feira (8) os novos diretores do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), bem como os novos chefes de departamentos e coordenadores de cursos que compõem o referido Centro. A solenidade de posse foi presidida pelo reitor Rangel Junior. O professor Amilton de França foi reeleito para um segundo mandato, tendo como diretora adjunta a professora Ludmila Albuquerque Douettes Araújo.

Com a missão de conduzir os destinos do CCJ pelos próximos dois anos, o professor Amilton de França, fez um discurso emociante, enaltecendo a força do Centro de Ciências Jurídicas que transcende os muros da UEPB e se reflete na sociedade. Ele fez um rápido balanço de seu primeiro mandato e renovou o compromisso de continuar trabalhando pelo crescimento e fortalecimento do CCJ.

Amilton falou de respeito, tradição e do papel da diversidade do Centro. Ele agradeceu aos professores e técnicos administrativos que contribuíram para que o curso de Direito do Câmpus I da UEPB estivesse entre os 130 do país que conquistaram o Selo de Qualidade ofertado pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e também fez um reconhecimento a Administração Central pelos avanços estratégicos no CCJ.

CCJ (5)

O reitor Rangel Junior desejou boa sorte aos empossados e mais uma vez garantiu total apoio da gestão ao Centro, mesmo em tempos difíceis e de crise. O reitor observou, no entanto, que a solução dos principais problemas que envolvem a Instituição não dependem apenas da Reitoria, mas do esforço e da luta de todos.

Rangel também falou do atual momento turbulento que o país atravessa e manifestou a sua esperança de que a crise passará, o que permitirá pensar o futuro da UEPB com mais ciência e mais qualidade no que é feito na formação das pessoas, além de mais compromisso com o povo da Paraíba. Ele também destacou o papel dos futuros operadores do Direito e ressaltou que na turbulência atual que o País vive, o judiciário surge como esperança de que a Justiça seja feita.

“Acho que é perfeitamente possível que cada um de nós possa dar a sua contribuição em todos os lugares. Construir consenso não é eliminar divergências e construir diálogo não é eliminar diferenças. É permitir que a diferença não se perca e as divergências não sejam jogadas de lado, mas que a gente priorize aquilo que é possível convergir em prol de um interesse muito maior” ressaltou o reitor.

Além do professor Amilton e da professora Ludmila, foram empossados os professores Ednaldo da Costa Agra e Milena Barbosa de Melo, chefe e chefe adjunta do Departamento de Direito Público; Flávia de Paiva Medeiros de Oliveira e José Cavalcanti dos Santos, chefe e chefe adjunto do Departamento de Direito Privado; Raíssa de Lima Melo, coordenadora do Curso de Direito; Ana Alice Tejo Ramos Salgado e Andrea de Lacerda Gomes, coordenadores adjuntos do Curso.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos