Curso de Arquivologia inaugura Laboratório de Conservação e Restauração de Documentos

3 de agosto de 2016

Restauração de obras raras, conservação de documentos e preservação da memória que está registrada em papel são alguns dos serviços já desenvolvidos pelo curso de Bacharelado em Arquivologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) que, a partir de agora, passam a adquirir maior viabilidade para a realização de suas atividades, com a inauguração do Laboratório de Conservação, Restauração e Encadernação (LACRE). A solenidade de abertura foi realizada na manhã desta quarta-feira (3), no Câmpus V da Instituição, em João Pessoa.

Estiveram presentes na abertura do local o reitor da UEPB, professor Rangel Junior; o diretor do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas (CCBSA), Francisco Jaime Mendonça Junior; a coordenadora do curso de Arquivologia, professora Esmeralda Porfírio Sales; o coordenador adjunto do curso de Arquivologia, professor Germano Ramalho; o coordenador do LACRE, professor Eutrópio Bezerra; docentes, estudantes, arquivistas e egressos do curso de Arquivologia; além de representantes de entidades de classe e projetos de extensão do referido Bacharelado.

O reitor Rangel Junior destacou a importância desse momento para o curso de Arquivologia e para a sociedade, que poderá contar com novas iniciativas de parceria para a restauração de obras e preservação de documentos de órgãos públicos e acervos privados. “Com esse laboratório fechamos um ciclo importante para o desenvolvimento das atividades do curso de Arquivologia, que não pode ser desenvolvido apenas com a teoria. A atividade prática, como o aprendizado das técnicas de preservação e restauro de documentos, é importante porque a formação fica mais completa e sólida. Por outro lado tem o aspecto da ampliação do campo de pesquisa e da prestação de serviços à sociedade, a órgãos públicos, a arquivos públicos e privados, com a restauração de obras”, avaliou Rangel Junior.

O professor Francisco Jaime lembrou que a criação do Lacre foi idealizado desde a turma pioneira do curso de Arquivologia, com o objetivo de permitir melhores condições de ensino e trazer visibilidade às atividades do Bacharelado. “É com muita felicidade que inauguramos mais um laboratório. O Laboratório de Conservação, Restauração e Encadernação de documentos antes funcionava de maneira muito rudimentar, sem equipamentos adequados, sem refrigeração, com material artesanal desenvolvido e doado pelo professor da disciplina. Mas agora estamos concluindo um processo de quase oito anos desde a época em que os alunos solicitavam esse espaço para exercer as práticas do curso”, disse Francisco Jaime.

A coordenadora do curso de Arquivologia considera a inauguração do Lacre um marco para a história do curso e uma conquista de grande porte. Na ocasião, a professora Esmeralda lembrou dos gestores que foram partícipes nesse processo de construção e aquisição de equipamentos para a montagem do laboratório. Na ocasião a docente destacou a contribuição dos professores José Washington Medeiros, Jacqueline Barrancos e Maria José Cordeiro Lima.

De acordo com o professor Eutrópio, o Lacre pode ser considerado um dos melhores laboratórios de conservação e restauração de documentos do país não só pela qualidade dos equipamentos adquiridos e o espaço físico utilizado, mas também pela equipe de profissionais que orientará as atividades no local.

“Nesses oito anos da minha presença na UEPB houve uma evolução grande nos equipamentos e nas técnicas que utilizávamos. Antigamente criávamos equipamentos alternativos que nos permitiam repassar as técnicas para salvaguardar documentos, mas, precisávamos adquirir equipamentos tradicionais para ampliar nossas possibilidades de desenvolver projetos de extensão, pesquisa e parcerias com instituições públicas e privadas. Hoje podemos dizer que temos um laboratório de excelência, com condições de desenvolver cursos de pequena e longa duração, além da possibilidade de uma especialização na área. Então, temos muito a comemorar”, destacou o coordenador do laboratório.

Além da readequação do espaço físico, que já era utilizado para as aulas de preservação e conservação de documentos, o Lacre foi equipado com mesa de umectação, Máquina Obturadora de Papel (MOP), mesas de higienização, cabines e mesas de luz, câmera de desinfetação para gás inerte e um aparelho multifuncional desenvolvido pelo professor Eutrópio, destinado à armazenagem de água deionizada e hidróxido de cálcio que é ligado diretamente à cuba e à MOP. O espaço conta ainda com bancadas e pias.

Com o Lacre, o curso de Arquivologia do Câmpus V da UEPB passa a contar com três laboratórios, já que o referido bacharelado conta com as unidades de Tecnologia da Informação e o Laboratório Integrado de Arquivologia, que são utilizados para atividades práticas acadêmicas desde 2011.

Texto e fotos: Juliana Marques