Com apoio da UEPB, aluno do Ensino Médio participa de seletiva para etapa internacional da Olimpíada de Física

30 de agosto de 2017

Com o olhar atento às futuras promessas acadêmicas, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), através da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX), tem investido seu tempo e dedicação em jovens talentos. No próximo sábado, 2 de setembro, o estudante Eduardo de Oliveira Silva, de 15 anos, aluno do 1º ano do Ensino Médio do Geo Sul, em João Pessoa, participará das provas da Olimpíada Brasileira de Física (OBF), com vistas a se classificar para a etapa internacional da competição. Para tanto, tem contato com o auxílio da Instituição.

Em 2016, Eduardo se submeteu às provas da OBF e levou duas medalhas dentre os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental: ouro na etapa estadual e prata na etapa nacional. Como resultado, agora faz parte da seletiva para a competição internacional, tendo ultrapassado mais de 190 mil alunos que inicialmente se candidataram.

De acordo com César Soares, professor de Física do Câmpus de Araruna da UEPB e coordenador estadual da Olimpíada Brasileira de Física, a Universidade apoia constantemente projetos voltados às Olimpíadas, a exemplo também das de Química e de Matemática. Assim, o suporte acontece através de projetos de extensão, dos quais participam alunos de todo o Estado. “Temos nos câmpus de Araruna e Patos, que são polos de Ciências Exatas, turmas específicas para aulas de olimpíadas, focadas em estudantes de escolas públicas”, explicou o professor.

Como a escola do aluno Eduardo o preparou previamente para a primeira fase da Olimpíada, agora ficou a cargo da UEPB torná-lo apto a se classificar para a etapa internacional. “A Universidade Estadual da Paraíba está dando todo o suporte acadêmico e pedagógico para que Eduardo faça essa prova”, esclareceu César Soares. “Foi decisão da coordenação estadual incentivar os estudos e treinos durante uma semana de aulas intensivas em Matemática e Física avançadas”, completou.

E sobre o futuro do aluno prodígio, engana-se quem pensa que Eduardo pretende cursar Física na graduação. “Como eu sempre tive interesse em jogos eletrônicos, percebi que além de jogar poderia também criar. Assim, meu interesse é ingressar no curso de Programação”, planeja Eduardo, deixando claro a opção por uma área que, como a Física, também depende de raciocínio lógico. “Nunca tive dificuldade com a disciplina e ter ganhado medalhas na Olimpíada do ano passado me mostrou que poderia superar os obstáculos até a fase internacional”, acrescentou. Para ele, a preparação realizada pela UEPB tem sido muito útil e a expectativa para a próxima etapa, claro, é de que consiga êxito.

 

Texto: Giuliana Rodrigues