Clínica Escola de Psicologia reúne professores e alunos em sarau poético para refletir sobre o “Outubro Rosa”

17 de outubro de 2018

O hall do Departamento de Psicologia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) recebeu, na tarde desta quarta-feira (17), professores e alunos para um momento de reflexão, valorização da vida e conscientização do exercício profissional. Ao longo de toda a tarde, a comunidade acadêmica pôde externar sua aptidão artística em um sarau promovido pela Clínica Escola do curso, tendo como tema central o Outubro Rosa, mês dedicado à conscientização e combate ao câncer de mama.

Poemas impressos e fotografias foram expostos na entrada do prédio, alunos e professores demonstraram seus talentos declamando poesias e cantando músicas, além de performances de dança e outras expressões artísticas marcaram a atividade que ofereceu uma reflexão para o olhar que o psicólogo deve ter perante sua atuação com pacientes acometidos pela doença.

De acordo com a professora Lígia Gouveia, a participação dos alunos durante a atividade foi muito positiva por apontar a expressão artística como ferramenta poderosa de combate ao impacto emocional causado pela doença. Já a professora, Jailma Souto, uma das organizadoras do sarau, disse que o profissional da Psicologia tem que ter um cuidado integral com o usuário do sistema de Saúde que esteja nesse processo de enfrentamento à doença. Segundo ela, é preciso oferecer condições para que o paciente se reinvente a partir de um diagnóstico confirmado.

“O profissional da Psicologia tem que ter um cuidado integral com o usuário que ele está cuidando. Mesmo que o diagnóstico seja ruim, é preciso reverter esse medo e reinventar sua vida. E a arte é uma saída para isso. É preciso ser otimista, encarar a dor e reinventar a vida”, destacou professora Jailma.

O sarau também contou com a participação de outros professores, tanto do Departamento de Psicologia como de outros cursos do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), que vieram prestigiar e participar da iniciativa. Além das apresentações artísticas, também foram feitas reflexões teóricas sobre a atuação dos profissionais que estão inseridos na rede de combate ao câncer. A aluna Amanda Raylla, recém-concluinte de Psicologia, valorizou a iniciativa e destacou a participação dos estudantes em discussões desse tipo.

“Achei a iniciativa muito positiva. É um tema que precisa ser cada vez mais debatido, seja na universidade ou em qualquer outro lugar, e a possibilidade de refletir sobre isso com atividades artísticas é algo que chama a atenção de todos. Por exemplo, eu gosto e acredito na utilização da música como uma alternativa de tratamento sendo algo muito bom para o paciente e aqui vários alunos e professores estão demonstrando que isso dá certo”, avaliou Amanda.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti