Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas sedia 2ª Copa Askaki UEPB de Karatê

3 de outubro de 2017

O Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas (CCEA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) sediou no último final de semana a 2ª Copa Askaki UEPB de Karatê. A competição aconteceu na quadra esportiva do Câmpus VII e reuniu karatecas de todo o Estado. Duas áreas de luta foram montadas para os embates e os atletas disputaram competições nas modalidades shiai–kata e shiai-kumite, masculino e feminino, sendo divididos nas categorias por idade, peso e faixa de graduação.

Estiveram presentes no evento três delegações: ASKASC, ASKAKI e Lar Fabiano de Cristo. Ao todo, 14 árbitros, entre técnicos e assistentes, foram convocados para o evento. Os árbitros do quadro da Federação Paraibana de Karatê aplicaram na competição regras de arbitragem adaptadas do World Karate Federation (WKF).

A programação teve início com a cerimônia de abertura oficial do campeonato, conduzida por Jurandir Olímpio Alves, árbitro da Confederação Brasileira de Karatê, coordenador do evento e responsável pelo regulamento técnico e arbitragem da competição, seguida da execução do hino nacional e desfile das delegações. A mesa solene foi composta por José Targino Filho, representante da Federação Paraibana de Karatê; Felipe César da Silva Brito, professor representante da UEPB; Antônio Guedes, representante das Associações de Karatê do Estado; e Airton Alves, representante da ASKAKI de Patos.

Targino destacou a qualidade técnica dos atletas e o nível da competição. Já Antônio Guedes deu ênfase a dedicação dos atletas e a necessidade de fortalecimento dos clubes para que o esporte em questão cresça ainda mais no Estado e impacte diretamente na Federação Paraibana de karatê. Airton Alves discorreu sobre o empenho de toda a equipe organizadora e a preservação do espírito esportivo na competição. O professor Felipe César comentou a importância e o compromisso ético e social do karatê, não somente na aquisição de habilidades defensivas, mas também no domínio da arte de ser um membro da sociedade empenhado com a integração e transformação da sociedade.

O embate começou com as competições de Kata individual. Nesta modalidade os pontos são concedidos de acordo com a qualidade do desempenho do atleta. A execução adequada dos movimentos e a interpretação pessoal do kata, através da variação de velocidade dos movimentos, são critérios fundamentais para uma boa performance, o que levou o pequeno João Victor Silva, com apenas 6 anos, ao primeiro lugar no pódio na categoria Kata Sub 8 Masculino – 6/ 7 anos.

Elpídio José da Silva Filho, atleta faixa preta, vice-campeão paraibano de Karatê e pai de João Victor, falou sobre a partição do filho na competição. “Estou muito satisfeito com resultado do meu filho. João Victor começou a treinar comigo em casa, aos três anos, e já tem um ano que ele participa de competições. No começo fiquei muito apreensivo em ver o meu filho concorrendo, mas hoje estou bem mais tranquilo, porque ele é focado no treino e sabe o que vai fazer na competição”. Vice-campeão paraibano, João Victor já garantiu a sua vaga para o campeonato brasileiro do ano que vem.

Mariana da Silva Sousa, atleta da ASKASC que alcançou o 1º lugar na categoria Kata Cadete Feminino 14/ 15 Anos, falou dos princípios que regem a conduta do praticante de karatê em todos os segmentos da sua vida. “A disciplina ensinada no karatê me ajudou a ser uma pessoa melhor, a ter uma conduta correta nas minhas relações, seja com a minha família, com os meus estudos, no convívio com os meus amigos. O Karatê me ajudou a conviver melhor em sociedade e eu sou muito grata por isso”.

No Kumite, os oponentes se enfrentaram entre dois e cinco minutos e os pontos foram conferidos aos participantes tanto pela técnica, quanto pela área do corpo em que os golpes foram desferidos. Shamyra Santos, 1º lugar na categoria Kumite Cadete Feminino 14/ 15 Anos + 45kg, destacou a importância do treinamento intenso e o aperfeiçoamento técnico para alcançar os objetivos. “Cada campeonato é uma nova oportunidade de adquirir novos conhecimentos e aperfeiçoar as nossas técnicas na prática. É uma oportunidade muito valiosa poder estar competindo sempre, adquirir mais experiência e conquistar novos títulos”, destacou a atleta.

Diego Inácio Marinho, do Lar Fabiano De Cristo, alcançou o primeiro lugar na categoria Kumite Senior Masculino – 60kg. Campeão estadual e brasileiro, campeão sulamericano e panamericano com participação em mundial, Diego enfatizou a relevância em se dedicar aos treinos para alcançar bons resultados. “A disciplina, o treinamento duro e sua dedicação lhe trarão bons resultados na competição. A classificação é resultado da sua dedicação e dos seus próprios esforços. Graças a Deus alcancei o resultado que eu almejava”, disse.

O destaque do evento ficou por conta do karateca Fernando da Silva Candido, atleta da Federação Paraibana de Karatê, campeão nas categorias Kumite Sênior Masculino – 75kg e Open Masculino. Fernando destacou a satisfação em disputar competições com altos índices técnicos, enfrentando atletas com altos rendimentos como os apresentados no evento e representar o seu lugar de origem. “É um prazer imenso competir e representar a minha cidade Sapé. Apesar do nível técnico dos competidores, consegui ser campeão nas duas categorias em que participei. O foco agora será o treino intensivo e o rigor na disciplina para representar o meu Estado no Campeonato Brasileiro”.

Delzuito Gouveia dos Santos, membro da Federação Paraibana de Karatê e árbitro da competição ressaltou a importância do karatê como filosofia de vida. “O karatê é um instrumento de transformação social, uma arte que visa o aprimoramento não só das habilidades técnicas combativas, mas também da formação integral do ser humano”, declarou.

O sensei Odilon Avelino, idealizador e organizador do evento, falou sobre os fundamentos filosóficos e técnicos do karatê, o processo de socialização do esporte e a ascensão da arte marcial como esporte olímpico. “A prática do karatê pode ser expressa como filosofia de vida, pois realça, além de técnicas que disciplinam o corpo e a mente, o caráter de formação de indivíduos comprometidos com o aperfeiçoamento moral e ético. A realização de um evento como este oferece aos atletas uma oportunidade de aperfeiçoamento técnico, integração social, troca de experiências e o fortalecimento da modalidade esportiva. Através do Karatê conseguimos formar e transformar cidadãos com responsabilidade social, tornando-os pessoas melhores para si e para a comunidade a qual pertencem”.

Odilon destacou ainda a ascensão do Karatê como esporte olímpico e a oportunidade de visibilidade que os atletas do Estado terão. “Os Karatecas do nosso Estado demonstram elevado nível técnico nas competições em que participam, tendo inclusive um grande número de competidores já selecionados para participar do Campeonato Brasileiro do próximo ano, uma oportunidade de visibilidade que certamente abrirá muitas portas para os nossos atletas, o que nos deixa orgulhosos”.

O sensei falou também do contentamento em poder realizar uma competição como a 2ª Copa Askaki UEPB e agradeceu a todos os envolvidos nessa realização. “É gratificante idealizar algo e ver posto em prática com tanta dedicação por todos os envolvidos. Agradeço a todos pelo empenho e comprometimento. Nossos agradecimentos a Universidade Estadual da Paraíba pelo apoio que nos é dado sempre e que sem ele a realização deste evento não seria possível. A Coordenadoria de Esporte e Lazer da UEPB, responsável pelo apoio na idealização, planejamento, organização e realização das atividades que visam a manutenção e promoção da saúde  do aluno e  melhoria de qualidade de vida, através de sua efetiva participação em eventos e ações, proporcionando momentos de lazer e bem estar. E ainda aos nossos patrocinadores Mercadinho São Francisco, Área de Lazer São Francisco, Golden Car, Vanessa Ótica, JÁ Móveis Planejados, que incentivaram a prática esportiva e nos deram condições de realizar esse evento.

O relatório da competição pode ser acessado AQUI.

 

Texto e fotos: Tatiany Escarião