Centro Acadêmico de Fisioterapia da UEPB promove mesa redonda com abordagem sobre câncer de próstata

20 de novembro de 2018

Dentro da programação alusiva a campanha Novembro Azul, o Centro Acadêmico de Fisioterapia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) realizou, na manhã desta terça-feira (20), uma mesa redonda sobre a prevenção do câncer de próstata. Destinada a estudantes, profissionais de saúde e pacientes das Clínicas Escolas da UEPB, a atividade foi conduzida pelas fisioterapeutas Yasmine Martins e Aline Araújo, bem como pelo psicólogo Kiever Araújo. Cerca de 40 pessoas participaram da mesa redonda, realizada no Auditório do Departamento de Fisioterapia, no Câmpus de Bodocongó.

Os professores tiraram dúvidas dos participantes, apresentaram dicas de saúde e, principalmente, destacaram a importância do exame preventivo. Em sua exposição, a professora Yasmine Martins falou sobre a anatomia e a fisiologia do desenvolvimento do câncer de próstata. Ela salientou que, para se prevenir da doença, é preciso que as pessoas tomem conhecimento de como ela acontece. Yasmine frisou que, hoje em dia, mesmo com todas as campanhas de conscientização, ainda existem muito preconceitos por parte dos homens em fazer os exames preventivos.

Segundo ela, o exame de toque é uma das formas de diagnosticar o câncer de próstata, junto com o exame de sangue, mas muitos homens ainda resistem em ir ao médico com medo do exame. “Muitos homens acham que vão perder a sua masculinidade, o que não é verdade. Trata-se, prioritariamente, de uma questão de saúde e não de preconceito”, destacou Yasmine.

A Mesa Redonda teve como objetivo procurar conscientizar os jovens e adultos sobre a importância da prevenção do câncer. Presidente do Centro Acadêmico, a estudante Tainá Cordeiro afirmou que a ideia do CA foi montar um evento multidisciplinar como forma de promover a conscientização em torno do câncer de próstata. Um dos objetivos do evento, conforme enfatizou Aline, foi quebrar o tabu que leva os homens a terem medo de procurar o sistema básico de saúde para fazer o exame do toque retal.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Giuliana Rodrigues