Câmpus V sedia palestra sobre a Agenda 2030 da ONU e os desafios do desenvolvimento sustentável

9 de fevereiro de 2017

Com a presença de estudantes, docentes e pesquisadores da graduação e pós-graduação em Relações Internacionais e áreas afins da Paraíba e de Pernambuco, foi realizada na manhã desta quinta-feira (9), no Câmpus V da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em João Pessoa, a palestra “Agenda 2030 da ONU: desafios e perspectivas do desenvolvimento sustentável”, com o diplomata Marcelo Costa.

Durante a palestra, promovida pelo Grupo de pesquisa “O Brasil no Conselho de Segurança da ONU” e o Departamento de Relações Internacionais da UEPB, o diplomata Marcelo Costa, que já trabalhou como Assessor Internacional da Secretaria da Presidência da República e atualmente integra a missão do Brasil junto à ONU, apresentou a experiência na ONU no campo de desenvolvimento sustentável.

“O desenvolvimento sustentável é hoje um dos principais pontos de preocupação da ONU, nessa agenda que reúne objetivos e metas na parte econômica, social e ambiental na busca por um mundo melhor para os próximos 15 anos. E, nesse sentido, esses estudantes, que hoje participam dessa discussão, devem se envolver desde já nessa discussão, uma vez que serão agentes multiplicadores quando estiverem atuando em agências internacionais, como acadêmicos ou diplomatas. Então, esse evento é como se estivermos lançando a semente junto a esse público”, destaca Marcelo Costa.

Sobre a Agenda 2030

A Agenda 2030 é definida pela ONU como um plano de ação para as pessoas, para o planeta e para a prosperidade, reconhecendo que a erradicação da pobreza em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, é o maior desafio global e um requisito indispensável para o desenvolvimento sustentável.

O documento reúne 17 objetivos de Desenvolvimento Sustentável e 169 metas, que devem ser cumpridas por todos os países e partes interessadas, atuando em parceria colaborativa. Tais objetivos buscam concretizar os direitos humanos de todos e alcançar a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres e meninas. Eles são integrados e indivisíveis, e equilibram as três dimensões do desenvolvimento sustentável: a econômica, a social e a ambiental.

Texto e fotos: Juliana Marques