Universidade Estadual da Paraíba forma novos profissionais do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas

10 de novembro de 2016

Momentos de emoção, esperança e reflexão marcaram a cerimônia de Colação de Grau do período letivo 2016.1 do Câmpus V da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), realizada na noite desta quarta-feira (9), no Auditório do Colégio Nossa Senhora de Lourdes (Lourdinas), em João Pessoa. A solenidade colocou à disposição do mercado de trabalho 70 novos profissionais de Arquivologia, Ciências Biológicas, Relações Internacionais e Administração Pública.

Na oportunidade, a Oradora Oficial, a estudante do curso de Arquivologia, Karolyne de Melo Soares, lembrou os obstáculos vivenciados ao longo da formação acadêmica, destacou a importância da Universidade enquanto espaço de aprendizado acadêmico, profissional e humano e utilizou da poesia de Braulio Bessa para traduzir a superação que deverá fazer parte da vida dos novos profissionais.

“Sendo eu um aprendiz, a vida me ensinou que besta é quem vive triste, lembrando do que faltou, magoando a cicatriz, esquece de ser feliz, por tudo o que conquistou. Afinal, nem toda lágrima é dor, nem toda graça é sorriso, nem toda curva da vida tem uma placa de aviso. Nem sempre que você perde é de fato prejuízo. Passei por coisas que até Deus duvida, fiquei triste, capiongo, aperreado, porém, nunca me senti desmotivado. Me agarrava sempre numa mão amiga e de forças a minha alma era munida, pois do céu a voz de Deus dizia assi: suba o queixo, meta os pés, confie em mim”, declamou emocionada a oradora.

Conduzida pela comissão de honra formada pelos estudantes Kelly Stefany da Silva (Arquivologia), Jonas Emanuel da Silva (Ciências Biológicas) e Thomas Peres (Relações Internacionais), a paraninfa das turmas concluintes, professora Esmeralda Porfírio de Sales, fez um discurso marcado pela emoção e gratidão por ter sido escolhida para ser homenageada. A docente, ressaltou o orgulho de ser professora da UEPB, utilizou a experiência profissional para aconselhar os concluintes durante a nova etapa de vida e enfatizou a importância da participação dos pais para a conquista dos formandos.

“Esse é um triunfo extraordinário, de que poucos podem se orgulhar. Os senhores podem. Arrogando-me a função de porta-voz de todos os seus professores, desde os que lhes ensinaram as primeiras letras até aos meus ilustres colegas, parabeniza a todos vocês pelo notável êxito. Antes, porém, dos professores – e acima deles – estão os seus mestres primeiros e de sempre; os que lhes ensinaram a brincar, a falar palavras, a construir frases; os que lhes transmitiram os primeiros e mais altos valores culturais. De cada um dos estimados formandos são, eles a mãe e o pai, aos quais cabe uma grande parcela da conquista que ora se celebra. A partir de agora cada um de vocês tem uma missão, enquanto profissionais responsáveis pelo desenvolvimento econômico, social e sustentável desse país. Desejo a todos aqui muita luz, paz, sorte, sabedoria, paciência e sucesso”, destacou professora Esmeralda.

A paraninfa ainda homenageou o arquivista, formado pela UEPB no período letivo 2015.2, José Alberto Dobu, que faleceu atropelado quatro dias após concluir o curso de Arquivologia; e a professora Maria José Cordeiro Lima (Mara), falecida em junho de 2016, tendo sido coordenadora do curso de Arquivologia, coordenadora de diversos projetos de pesquisa e extensão da UEPB e iniciado o trabalho de orientadora de alguns dos formandos da turma 2016/1.

O pró-reitor de Graduação, professor Eli Brandão, lembrou que as solenidades de Colação de Grau do período letivo 2016.1 encerram o jubileu de ouro da UEPB. O docente enfatizou a importância da educação como ferramenta de transformação social para a construção de uma sociedade mais justa e fraterna. O docente também lembrou as incertezas vivenciadas no Brasil e o papel dos novos profissionais na defesa de valores como a democracia, a cidadania, a universidade pública.

“Há um grande déficit em relação ao número de vagas no ensino público do país. E se é difícil ingressar numa universidade pública, mais difícil ainda é enfrentar adversidades que estão surgindo no cenário da educação do nosso país. O que está em jogo é o futuro da universidade pública brasileira. Longe de querer desanimá-los, eu quero é desafiá-los a renovar a aposta na vida, na esperança de dias melhores. Desejo que vocês continuem a lutar pela universidade pública. Se tomarmos por empréstimo as palavras de Lulu Santos e Nelson Mota, ‘nada do que foi será do jeito que já foi um dia’, mas o que será daqui pra frente depende de cada um de nós”, concluiu o pró-reitor.

Receberam o grau acadêmico, em nome dos demais formandos: Marcela Maria da Silva (Arquivologia), Jorge Santos Alves (Ciências Biológicas) e Rayanne Nunes (Relações Internacionais). A juramentista foi a estudante do curso de Relações Internacionais Fernanda Patrícia Albuquerque.

Compuseram a mesa de honra da solenidade o pró-reitor de graduação da UEPB, professor Eli Brandão, na ocasião representando o reitor Antonio Rangel Junior; a diretora do Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas, professora Jacqueline Echeverría Barrancos; o diretor adjunto do CCBSA, professor Ênio Wocyli Dantas; a paraninfa das turmas concluintes, professora Esmeralda Porfírio de Sales; a pró-reitora de Gestão Administrativa, Socorro Barbosa; a pró-reitora adjunta de Planejamento, Pollyana Xavier; o coordenador do curso de Ciências Biológicas, professor Cleber Salimon e o coordenador de Relações Internacionais, professor Filipe Reis.

Texto: Juliana Marques
Fotos: Paizinha Lemos