Câmpus V da Universidade Estadual sedia primeira edição do Festival de Artes e Participação Social

24 de abril de 2017

Rock, preconceito, grafite, feminismo, rap, violência urbana, cinema, reformas, fotografias, percussão, rimas e educação. Todos juntos, reunidos em um evento que pretende usar a linguagem das artes para mobilizar jovens estudantes a refletir sobre questões que atingem a sociedade atual. Essa é a proposta do Festival de Artes e Participação Social (FARPAS), que acontecerá pela primeira vez nesta quarta (26) e quinta-feira (27), no Câmpus V da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em João Pessoa.

Durante os dois dias, das 9h às 21h, passarão pela programação do Festival, ativistas ligados ao feminismo, à arte urbana como o grafite, professores universitários, rappers, agentes de segurança pública, artistas que usam da palhaçaria à poesia como expressão artística, além de exposições permanentes, como a do chargista Régis Soares. Na lista de atividades também estão rodas de conversa e oficinas de rima, arte urbana, percussão e clown, além de sessões de cineclube.

O FARPAS contará com um evento paralelo: o primeiro seminário de Cultura de Paz Local, promovido pelo Grupo de Estudos da Paz e Segurança Mundial. Nos fins de tarde acontecerão shows das bandas Corisco na Terra do Sol, Sinta a Liga, Pau de Dar em Doido, Invéxis e Traça de Arquivo. Toda a programação é gratuita e aberta à comunidade.

O evento conta com o apoio dos projetos de extensão “Memória, sociedade e cidadania (MUDDE): reflexão para além dos muros acadêmicos”, “Audiovisualmentes: produzindo e mediando conteúdos educacionais como ferramenta de disseminação social e comunicação pedagógica”, da Pró-reitoria de Extensão da UEPB, Centro de Ciências Biológicas e Sociais Aplicadas e Escola Estadual José Lins do Rêgo.

De acordo com o idealizador e organizador do evento, professor Henrique França, essa iniciativa começou a partir de uma atividade extraclasse que foi apoiada por toda comunidade do Câmpus V. “Diante de todo o cenário de mobilização que estamos vivendo a favor da Educação, nosso evento foi sendo delineado e fomos montando nossa programação. Escolhemos pessoas que pudessem contribuir com as reflexões, artistas que tivessem uma identificação com essas temáticas, e conseguimos atrair pessoas com um trabalho que possui esse viés que nós queremos, tudo voluntário”, explicou Henrique.

Para participar das rodas de conversa e oficinas os interessados devem realizar a inscrição através da página do FARPAS no Facebook: https://www.facebook.com/events/994207437383432/.

Rodas de conversa

Quatro temas serão abordados durante os dois dias de Festival, em rodas de conversa que alternarão debate e participação artística. “Feminismos” é um desses temas e deve acender uma boa conversa sobre correntes e possibilidades de atuação feminista. Entre os convidados estão o projeto Sinta a Liga Crew, Phenha Bolim, Coletivo Brígida Lourenço e Carol Rodrigues. Já a roda de conversa “Reforme-se!” vai abordar o atual processo de reformas enfrentado no Brasil – da reforma do Ensino Médio à da Previdência – e como elas influenciam a vida de adolescentes e jovens. Entre os convidados estão os professores Felipe Baunilha, Ramsés Nunes, Tiago Bernardon, Karina Souto e Alexano Brito, o militante social e estudantil Rique Peres, e o cantor e compositor Bebé de Natécio. A terceira roda abordará o tema “Eu sou o próximo”, uma convergência de assuntos como violência, preconceito e cultura de paz. Entre os convidados estão o rapper Augusto UGT, a transexual Anita de Souza Medeiros, o policial Joilis Ramalho, o pesquisador Daniel Abath e o professor Paulo Khulman.

Oficinas

Na quinta-feira (27) o FARPAS será palco de quatro oficinas: Rima, ministrada por Peter; Arte Urbana em Stencil, ministrada pela arquiteta Raissa Monteiro; Improviso em Clown, trazida por Jefferson Silva – o palhaço Fumacinha; e uma oficina de percussão, oferecida por Jefferson dos Santos. Antes mesmo do início do Festival, uma outra oficina será oferecida. Trata-se da “Oficina de Audiovisual”, ministrada pelo publicitário Caio Henrique e que tem como proposta formar uma equipe de cobertura em vídeo para o Festival. Essa será realizada em duas tardes, nos dias 24 e 25 (segunda e terça), culminando com a cobertura do FARPAS.

Seminário de cultura de paz local

A programação do FARPAS também agregará um evento paralelo, o primeiro Seminário de Cultura de Paz Local. Realizado pelo Grupo de Estudos de Paz e Segurança Mundial, o GEPASM, o evento será realizado na tarde do dia 27 e contará com a participação de Angela Gaeta, regente do Maracastelo; Aline Alencar, contadora de histórias do Castelo de história; Dal Zapata, coordenador do Centro de Raferencia de Juventude do Rangel; e Karol Balistar, regente da banda marcial da Escola Santa Ângela. O Seminário conta com o apoio dos Projetos de Extensão PUA (Projeto Universidade em Movimento), MUDDE e AudiovisualMentes – todos do Câmpus V da UEPB, em João Pessoa.

Grafitagem e mostra

Outros destaques do FARPAS são a exposição de charges do ilustrador Régis Soares, que estará aberta à visitação durante os dois dias do Festival, e os painéis de grafite que serão produzidos durante o evento. Cinco artistas do grafite vão se dividir na composição de dois painéis, na área do Campus V – Escola José Lins do Rego: Kalyne Lima (Klima), Patrícia Oliveira (Moon Child), Priscila Lima (Witch), Talytha Marinho (Marin) e Sombra.