Câmpus da Universidade Estadual da Paraíba em Patos sedia 3º Gashuku Sertão de Karatê

11 de setembro de 2017

Integrantes do projeto de extensão “Utilização do Karatê como Instrumento de Inclusão Social” da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Patos, em parceria com a Federação Paraibana de Karatê e a Associação de Karatê Kiai, realizaram no último fim de semana o 3º Gashuku Sertão de Karatê. O evento foi realizado no Auditório Celso Furtado, no Câmpus VII da Instituição, e organizado por Odilon Avelino, coordenador e professor do projeto extensionista, com apoio de Jurandir Olímpio Alves, árbitro da Confederação Brasileira de Karatê, e Luana Barboza de Medeiros, bolsista do projeto e aluna do curso de matemática do Centro de Ciências Exatas e Sociais Aplicadas da UEPB.

Karatecas praticantes de diferentes estilos da arte marcial do Estado da Paraíba participaram do evento, que teve como objetivo fomentar o exercício e os estudos científicos acerca deste estilo de luta nipônica. Foram dois dias de treinamento intensivo, com repertório técnico que envolveu a tríade básica nas modalidades modernas de artes marciais japonesas Kihon (técnicas básicas), kata (sequência de técnicas simulando luta com várias aplicações práticas) e kumite (enfrentamento propriamente dito), além de conferências ministradas pelos instrutores sensei Targino Filho, Jurandir Olímpio Alves e Cláudio William.

Destinado ao aprimoramento técnico, o Gashuku é um retiro de karatecas de cunho não somente desportivo mas, sobretudo, de caráter educacional, onde habilidades mentais e físicas podem ser ampliadas e apuradas, através da prática intensiva e intercâmbio social, visando o refinamento nas habilidades técnicas combativas e na formação integral do ser humano. Ao participar de um Gashuku, o karateca, como indivíduo, deve se dedicar ao treino intimamente, explorar suas potencialidades individuais e esforço coletivo, respeitando os ensinamentos técnicos para o desenvolvimento do equilíbrio, harmonia, potência física e espiritual por meio de um rigoroso e disciplinado treinamento em direção ao objetivo de conhecer e aprimorar a si mesmo e a comunidade a qual pertence.

O professor José Targino disse que o evento levou a Patos um pouco da experiência do que está acontecendo nas competições e eventos pelo mundo e as últimas tendências na modalidade marcial, tendo em vista que o karatê é um esporte olímpico que certamente abrirá portas aos atletas locais. Segundo Targino, “o karatê da Paraíba tem se destacado, mantendo o Estado em evidência, em nível nacional e internacional, por possuir atletas com elevados índices técnicos e altos rendimentos, não deixando nada a desejar em relação a atletas do restante do país”.

Participaram do evento cerca de 20 karatecas de diferentes cidades paraibanas e de estados Vizinhos, dentre eles destaque para o atleta de Bayeux, detentor de importantes títulos, referência para o esporte paraibano, Diego Inácio Marinho, campeão estadual e brasileiro, campeão Sul Americano e Pan Americano, com participação em mundial. Para ele, o Gashuku, “tem muita importância para todos os atletas, porque através da interação se vai adquirindo conhecimento em cada vivência, trabalhando duro, intensificando os treinos e acolhendo os ensinamentos do sensei”.

Jurandir Olímpio, educador físico e árbitro da CBK, abordando os aspectos filosóficos e técnicos do karatê, destacou a importância da arte marcial em questão para a formação individual e social. “A prática do karatê pode ser expressa como filosofia de vida, porque toda a educação que adquirimos no treinamento em karatê, levamos para a sociedade. Quem treina karatê não é somente um atleta praticante. Através dos ensinamentos passados, conseguimos formar e transformar cidadãos com responsabilidade social, tornando-os pessoas melhores para si e para os outros”.

Cláudio William, faixa preta 2º Dan, atestou a grande oportunidade que um evento como o Gashuku oferece aos atletas de se dedicarem ao seu aperfeiçoamento físico e intelectual para que possam integrar e fazer a diferença na sociedade em que vivem. “O Gashuku nos dá a oportunidade de mostrarmos o nosso trabalho como professores e exigirmos o melhor de nós mesmos também como seres humanos, uma oportunidade de dedicação ao crescimento físico, mental e espiritual”, enfatizou.

A organização do evento, por meio do Sensei Odilon Avelino, destacou a importância do Gashuku e da influência mútua promovida entre os Karatecas iniciantes e veteranos e outras associações, como forma de adquirir experiências através do trabalho desenvolvido no seminário, do ponto de vista técnico e de formação integral. “Trouxemos pessoas que estão, cada uma dentro de sua modalidade, se destacando e que mostram esses ensinamentos fundamentais de forma mais profissional, estimulando o aprimoramento do conhecimento e integração social”, disse.

Realizando o evento pelo terceiro ano consecutivo, Odilon Avelino ressaltou ainda a expectativa de que haja cada vez mais maior interação no Estado da Paraíba para que o karatê se fortaleça e se consolide, através desse encontro, como base cultural de arte marcial para o município.

 

Texto: Tatiany Escarião
Fotos: Tatiany Escarião e Airton Alves