Aula inaugural sobre Jovem Rural marca início do Curso Técnico em Agroindústria no Câmpus II da UEPB

27 de junho de 2016

aula08

Com a presença do reitor Rangel Junior; do chefe de Gabinete do Governo do Estado, professor Fábio Maia; professores e estudantes foram iniciadas oficialmente as atividades do Curso Técnico em Agroindústria do Centro de Ciências Agrárias e Ambientais (CCAA) do Câmpus II da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Lagoa Seca. A aula inaugural “Jovem Rural como Agente de Desenvolvimento” foi proferida pelo professor Fábio Maia, que representou o governador Ricardo Coutinho e mostrou à turma pioneira a importância da agroindústria para o desenvolvimento do Estado.

Antes da aula, o reitor da Instituição, professor Rangel Junior, deu as boas vindas aos estudantes e destacou o esforço da UEPB em criar um curso técnico para aproveitar a estrutura do Complexo Agroindustrial mesmo em tempos de crise. Rangel ressaltou que mesmo com as dificuldades a UEPB não poderia ficar estacionada, sem criar as condições para colocar o curso em funcionamento. Ele enfatizou que a estrutura é modesta e projetada com todo o cuidado e a cautela que o momento exige, compatível com a atual realidade da Instituição.

aula05

O reitor também observou a forma como a comunidade participou da construção do projeto. “A iniciativa de fazer a proposta e de criar o programa e o projeto pedagógico envolveu muita gente. A comunidade participou como um todo e as mudanças foram acontecendo”, observou. Rangel Junior destacou ainda que a entrada em funcionamento das unidades que compõem o Complexo Agroindustrial representa um passo significativo da UEPB para potencializar o Câmpus II. Ele também enfatizou a importância das parcerias firmadas com instituições como a Emepa, Embrapa, Senar e Sebrae, o que possibilitará o pleno funcionamento dos cursos técnicos da UEPB.

O diretor da Escola Agrícola Assis Chateaubriand (EAAC), José Félix de Brito Neto, também deu as boas vindas aos alunos da turma pioneira do curso e aproveitou a ocasião para lançar o projeto “Jovem Empreendedor Rural”, que funcionará em parceria com o Sebrae e o Banco do Nordeste. O projeto visa formar os jovens na área de Agroindústria e despertar neles o interesse para o empreendedorismo, possibilitando a permanência de uma mão de obra qualificada na zona rural.

aula01

José Félix ressaltou que os filhos dos agricultores muitas vezes migram para os grandes centros do país em busca de oportunidades, o que tem contribuído para o envelhecimento da população rural. Para ele, a entrada em funcionamento do curso consiste em um marco na Escola Agrícola, que tem 50 anos e um curso técnico em Agropecuária já consolidado. “Agora estamos implantando esse novo curso que será acompanhado de aulas práticas. É um curso que vai dar oportunidade aos filhos de agricultores da região na área de agroindústria”, disse.

Coordenador do Complexo Agroindustrial, o professor Manoel Messias Firmino de Queiroz ressaltou que o dia foi histórico para o Câmpus II, pois marcou a realização de um sonho, nascido em 2004, quando a Escola Agrícola foi convidada para participar de um concurso promovido pela Fundação Vita, com o intuito de aperfeiçoar o curso técnico na área de agroindústria. Messias lembrou que o projeto cresceu com a construção das unidades de processamento de alimentos por parte da UEPB, o que exigiu da Instituição a necessidade da criação de um curso para a área.

Professor Messias ressaltou que a intenção da direção do CCAA é que o complexo formado por nove unidades de processamentos seja colocado à disposição dos agricultores, a partir de parcerias, favorecendo o desenvolvimento no campo. Ele explicou que hoje os agricultores da região têm as suas produções, mas não dispõem de uma estrutura para fazer o processamento, o que gera desperdício. A proposta da UEPB é processar a produção desses agricultores, agregando valor e impulsionando a economia local.

aula06

Responsável pela abertura das atividades, o professor Fábio Maia destacou que o futuro do país passa pela formação profissional dos jovens. Ele ressaltou que hoje a agricultura familiar consiste em uma atividade em ascensão e que tem impulsionado o desenvolvimento do Brasil. O curso de Agroindústria da UEPB, segundo Fábio, vai permitir que dezenas de jovens obtenham os conhecimentos necessários para entrar no mercado de trabalho. Para ele, o curso ofertado pela Instituição é referência no ramo da alimentação e vai atender as exigência do mercado em ascensão.

Aprovado pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe), o Curso Técnico em Agroindústria pertence a Escola Agrícola Assis Chateaubriand e terá uma carga de 1.400 horas/aula, com dois anos de duração. No total foram ofertadas 80 vagas, distribuídas em duas turmas de 40 alunos, que funcionarão nos períodos da manhã e noite. São estudantes de pelo menos 15 municípios paraibanos.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Paizinha Lemos