Usuários de UBSF instalada na UEPB participam de ação da campanha Novembro Azul

25 de novembro de 2019

Apesar de inúmeras campanhas educativas e esclarecedoras, os homens ainda resistem em procurar os serviços de saúde e, historicamente, só recorrem aos postos de saúde quando estão com problemas sérios e as doenças em estado avançado. E quando o assunto é prevenção do câncer de próstata, a rejeição é maior. Por essa razão, a campanha “Novembro Azul” busca incentivar os cuidados com a saúde da população masculina e tem procurado mudar a mentalidade ainda machista desse público.

Inserida dentro da proposta da campanha, a Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF) Professora Odete Leandro Oliveira, instalada na Clínica Escola de Enfermagem da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), no Câmpus de Bodocongó, realizou, nesta segunda-feira (25), uma série de atividades com o intuito de tentar quebrar esse tabu e mostrar aos homens que a prevenção é o caminho para uma vida saudável e com longevidade.

A ação contou com palestras e atividades físicas. A coordenadora da Clínica, professora Fabíola de Araújo Leite, ressaltou que a ideia da atividade foi tentar convencer os homens a procurar com mais frequência os serviços de saúde, uma vez que quase 90% das pessoas que são assistidas na UBSF da UEPB são mulheres. “A gente ainda percebe uma escassez da clientela masculina dentro dos serviços públicos de saúde, principalmente voltado para a prevenção e para a noção de saúde”, observou.

Ela destacou que o “Novembro Azul” visa chamar a atenção dos homens para uma avaliação geral de sua saúde, não apenas em relação à prevenção do câncer de próstata, mas também das doenças crônicas como diabetes, hipertensão e o cuidado com a obesidade e o tabagismo. Para Fabíola, a resistência do homem em procurar os serviços de saúde é cultural e tem relação com outros fatores, como falta de informação e, principalmente, o machismo.

A primeira atividade contou com a participação da professora de Educação Física, Regimênia Carvalho, que apresentou dicas para ajudar os homens a terem uma vida saudável e prevenir doenças. Utilizando dança, música e estudos dos especialistas, ela enfatizou a importância de uma boa nutrição, da realização de atividades físicas constantes, de uma vida espiritual, de um bom relacionamento em grupo e da redução do estresse. Todos esses hábitos, segundo ela, se refletem na saúde da pessoa. “Os seres humanos que se dispõem a levar uma vida saudável, com certeza, vão evitar muitas doenças do século XXI, inclusive o câncer de próstata”, pontuou.

Os homens que foram em busca de consulta na UBSF, assistiram também uma palestra proferida pelo médico da equipe, doutor Gabriel Vasconcelos, e pela assistente social Luciana Paiva. Doutor Gabriel procurou mostrar a necessidade dos homens procurarem com mais frequência os serviços de saúde e não deixarem para fazer esse caminho apenas quando as doenças já estiverem instaladas. Cuidar do corpo e da mente é preciso, conforme aconselhou o médico.

De acordo com Gabriel, o homem ainda tem muito preconceito em fazer os exames preventivos de câncer, como o toque retal e até mesmo o exame de sangue PSA. Para ele, rotineiramente os homens deveriam ir ao posto para fazer os exames de rotina e ver como está o peso, a pressão arterial, obesidade e a taxa de glicemia. Foi o que fez José de Arimateia Gonçalves, de 42 anos, morador do Bodocongó. Ele revelou que este mês decidiu fazer os exames para saber como está a saúde e pretende rotineiramente voltar a UBSF. “É importante a gente cuidar da saúde e vir sempre ao posto”, afirmou.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Givaldo Cavalcanti