UEPB institui 2020 como ano comemorativo do centenário de nascimento de Celso Furtado

12 de fevereiro de 2020

Em reconhecimento por sua contribuição acadêmica, política e social, a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) instituiu, através da Portaria UEPB/GR/0003/2020, que o ano de 2020 seja comemorativo ao centenário de nascimento do paraibano Celso Furtado. Importante figura da história do Brasil ao longo do Século XX, Celso Monteiro Furtado nasceu na cidade de Pombal, no Sertão do Estado, e além de suas atividades como professor e economista, foi criador da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) durante o governo do presidente Juscelino Kubitschek, em 1959.

Esta homenagem que a UEPB presta ao centenário de Celso Furtado é uma forma de reconhecimento por tantas ações realizadas por ele. Dentre elas, ser um dos pensadores brasileiros mais conhecidos e reconhecidos no mundo, tendo recebido indicações ao Prêmio Nobel da Economia, em 2014, além de ser um dos principais pensadores que se esforçou para entender e buscar soluções para o desenvolvimento da região Nordeste. Esta área recebeu atenção especial de Celso, que entendeu o Nordeste não como uma área refém das secas, mas de ausência de estruturas e políticas econômicas que reproduziam desigualdades existentes.

Por essas razões, a UEPB instituiu o “Ano comemorativo Celso Furtado”, mobilizando diversas atividades acadêmicas que acontecerão na Instituição desde a abertura do semestre letivo 2020/1. O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) realizará debates e promoverá palestras com especialistas na obra de Celso Furtado para ampliar o alcance das pesquisas que pensam ao Nordeste. De acordo com a professora Ângela Ramalho, coordenadora do PPGDR, Celso Furtado é o arcabouço teórico para o pensamento e as discussões sobre as políticas de desenvolvimento regional, o que o faz um dos principais teóricos em diversas áreas de pesquisa.

“Essa homenagem que a UEPB faz ao paraibano Celso Furtado é muito importante. Ele foi um acadêmico e pensador que se inquietou diante das questões das desigualdades regionais do Nordeste. E ele não pensou apenas a partir do Nordeste, ele pensou os problemas a partir das assimetrias sociais. E isso consolidou a proposta da Sudene, que possibilitou a criação de cursos para formar técnicos e pesquisadores que pensassem todo esse cenário de desigualdades para se buscar meios de superá-las”, destacou a professora.

O Mestrado em Desenvolvimento Regional da UEPB, que durante 10 anos de atuação vem difundindo pesquisas a partir de demandas sociais e tem na teoria de Celso Furtado a base para entender essas desigualdades, especificamente no Nordeste, realizará, já na abertura do semestre 2020.1, a primeira atividade com foco na teoria furtadiana. Segundo professora Ângela, na abertura das atividades da turma 2020 será promovida uma palestra com dois pesquisadores com vasta experiência na obra de Celso Furtado.

“Faremos uma programação vasta ao logo de todo o ano letivo da pós-graduação. Desde a abertura do semestre 2020.1, trazendo dois pesquisadores que conhecem bem os temas abordados por Celso Furtado, como também a formação de grupos de estudo. Vamos produzir um documentário a partir de várias pesquisas sobre a vida e obra de Celso Furtado, o que nos ajudará a mostrar a contribuição do pensador que mostrou as condições do Nordeste, não ficando apenas na teoria, mas que viveu essa prática a partir de suas inquietações e tanto contribuiu para o desenvolvimento da região”, concluiu professora Ângela.

Texto: Givaldo Cavalcanti
Foto: Nelson Perez (Valor Econômico)