Tecnologias de combate à corrupção é tema de aula inaugural do Mestrado em Ciência e Tecnologia em Saúde

15 de Maio de 2017

Este slideshow necessita de JavaScript.

As aulas da Turma 2017 do Mestrado em Ciência e Tecnologia em Saúde (MCTS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) foram iniciadas nesta sexta-feira (12) com uma palestra que abordou soluções de inovação no auxílio ao combate à corrupção no setor público. A palestra que teve como tema “Hackeando a coisa pública” foi ministrada pelo professor da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), João Arthur Brunet Monteiro, e pelo Diretor Administrativo do Ministério Público, Marcos Vinícius Ferreira Césario.

Na primeira parte do evento, João Arthur iniciou sua fala explicando que o hacker não deve ser visto apenas como algo ruim para a sociedade, pois o conhecimento na área de informática pode ser usado para apresentar à população informações que estão escondidas em dados, como por exemplo, fraudes em licitações.

O professor da UFCG explicou que o SpLab (Software Pratices Laboratory), do qual ele é pesquisador, tem desenvolvido diversas aplicações que visam ajudar no controle das políticas públicas, possibilitando a população utilizar a tecnologia para cobrar efetividade dos agentes políticos. Um exemplo apresentado foi o site “Quem me representa?” (www.qmrepresenta.com.br), no qual são colocados temas em discussão na Câmara dos Deputados. O usuário vota nestes temas e a partir das respostas o site apresenta os nomes dos deputados que mais se alinham com as preferências. “A ideia é que o eleitor saiba se o deputado que ele votou está alinhado com o pensamento dele”, comentou.

O professor ainda explicou que algumas dessas soluções tecnológicas de controle social foram criadas durante a realização do Hackfest 2016, uma maratona de programação que desenvolve tecnologias de combate à corrupção. A edição deste ano será realizada de 9 a 11 de junho, no Espaço Cultural, em João Pessoa. “A computação não é fim, mas meio para acelerar os processos e proporcionar o controle de ações do governo por parte da população. Nossa expectativa é que nesta edição do Hackfest surjam novas ferramentas de auxílio ao combate à corrupção”, disse João Arthur.

Na segunda parte da palestra, o diretor do Ministério Público, Vinícius Ferreira, ressaltou a importância da tecnologia no combate à corrupção no setor público. Ele destacou a importância da participação no Hackfest dos estudantes do Mestrado em Ciência e Tecnologia em Saúde da UEPB, visto que a área de saúde é uma das que mais necessitam de controle das finanças públicas. “A tecnologia está no foco da humanidade e o Ministério Público cada vez mais tem utilizado essa ferramenta para fiscalizar a utilização dos recursos públicos”, comentou Vinícius Ferreira

Boas-vindas

Depois da palestra de abertura, a coordenadora do mestrado, professora Kátia Galdino, deu as boas-vindas aos novos alunos, apresentando-lhes a grade curricular do curso, o perfil do profissional egresso da pós-graduação e as áreas de atuações. Finalizando a aula inaugural, a ex-aluna do mestrado, Yasmyne Martins, fez uma apresentação sobre sua experiência acadêmica no curso e a trajetória profissional após a conclusão do Mestrado.
Texto e fotos: Leonardo Alves