Semana Nacional de Filosofia tem início com realização de minicursos e apresentação de comunicações orais

12 de novembro de 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

A 1ª Semana Nacional de Filosofia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), evento que também integra o 1º Colóquio Nacional Biopolítica e Filosofia, teve início na manhã desta segunda-feira (12), na Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó. Entre as atividades, começaram os minicursos e as comunicações orais apresentadas pelos participantes. Até o momento, foram confirmadas mais de 140 inscrições, número que pode aumentar até a realização da conferência de abertura que será realizada nesta noite, a partir das 18h30, no Auditório III.

De acordo com o coordenador do evento, professor Tales Azevedo, essas primeiras atividades já dão uma amostra do que será a Semana de Filosofia, uma vez que a realização dos minicursos e comunicações orais atrai muitos participantes, pelo momento de aprendizagem, aprofundamento dos conteúdos e discussão acerca dos temas. “A Filosofia trabalha com o diálogo, ela celebra a diversidade de pensar e para isso nós organizamos o tempo dentro dessas atividades para a exposição de ideias e para o diálogo entre os participantes”, disse o professor.

Um dos minicursos que teve início nesta segunda, “Platão e a Educação: igualdade de gênero?”, ministrado pela professora Solange Gonzaga, abordou o pensamento do filósofo grego, desde do seu histórico até a representatividade do cidadão de Atenas, a educação para a igualdade da República e ainda a educação pela igualdade nas leis. De acordo com a professora, o passado é lição para buscar a reflexão e não para sua cópia, daí a necessidade de pensar a educação como particularidade com o corpo e com a alma.

“A obra ‘A República’, de Platão, foi elaborada com o propósito educativo mais ambicioso que temos como modelo, que é educar para a justiça. E no que diz respeito à igualdade de gênero, ele aborda a questão da mulher na antiguidade conceituando o papel dela na sociedade. E esse papel mostra que ela é destinada a casar jovem, normalmente com um homem bem mais velho para lhe ensinar as coisas, ela tem a obrigação de cuidar do lar e etc. Por isso que temos que fazer essa reflexão para entendermos até que ponto nossa sociedade está presa ao passado e quais lições ela pode tirar dessas questões”, disse.

Participante do evento, o aluno Neto Ferreira ressaltou a presença dos estudantes nas atividades, por entender que a partir da pesquisa científica é possível colocar a Filosofia em evidência e ampliar vários conhecimentos que estão sendo abordados. Já para o professor Kledson Alves, inscrito no evento para apresentar uma comunicação oral, a partir do debate proposto é possível entender mais as transformações e vivências políticas e sociais da atualidade. Segundo ele, a universidade é um campo para ampliação desse debate, e isso tem que ser valorizado por todos.

“A realização desses eventos é importante para que possamos fomentar a pesquisa e ajudar na construção do pensamento. Entendo que estamos passando por um momento muito delicado, do ponto de vista político e social, e a Filosofia pode dar muitas contribuições para compreendermos melhor esse cenário. Esse debate de ideias é muito rico e com a participação grande dos alunos, acredito que poderemos avançar em muitas questões”, avaliou Kledson.

A 1ª Semana Nacional de Filosofia da UEPB e o 1º Colóquio Nacional Biopolítica e Filosofia continuam na tarde desta segunda, com a realização da mesa redonda “Biopolítica Contemporânea”, a partir das 16h30, no Auditório III, e à noite com a conferência de abertura e lançamento da Instante Revista, no mesmo local. As atividades continuam nesta terça-feira (13) manhã e tarde, e quarta-feira (14) manhã, tarde e noite, na Central de Integração Acadêmica.

Mais informações sobre o evento podem ser obtidas no site do evento, acessível através do endereço eletrônico https://www.doity.com.br/coloquiofilosofiauepb.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti