Reitor e vice falam sobre medidas emergenciais para manter serviços essenciais da UEPB

21 de junho de 2018

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professor Rangel Junior, juntamente com o vice-reitor, professor Flávio Romero Guimarães, em entrevista a equipe de reportagem da Coordenadoria de Comunicação (CODECOM), nesta quinta-feira (21), comentou sobre os fatores que levaram a Administração Central da Instituição a adotar medidas emergenciais para garantir a manutenção dos serviços essenciais da Universidade, bem como falou sobre a necessidade de cumprimento da lei para que, com o repasse correto de recursos, a UEPB possa sair de um cenário de extrema dificuldade.

Segundo o reitor, apesar de o Governo do Estado buscar diminuir o tamanho da Universidade, impondo um orçamento muito abaixo do que a Instituição necessita para se manter com qualidade, a UEPB não irá aceitar voltar ao passado, diminuindo seu tamanho e sua atuação, especialmente porque a Universidade Estadual da Paraíba é do povo paraibano e tem forte compromisso com o desenvolvimento do Estado.

Para Rangel Junior e Flávio Romero, além de não fazer o repasse de recursos conforme o previsto em lei, o Governo do Estado também não cumpriu com os compromissos assumidos nas negociações com professores e técnicos administrativos durante períodos de greve e, com isso, obrigou a UEPB a arcar com despesas além de sua capacidade, quando não repassou os valores referentes a implantação dos auxílios alimentação e saúde dos servidores, bem como ao desbloquear as progressões funcionais, mas não garantir o montante para execução do que foi determinado em Decreto.

Confira a entrevista na íntegra: