Projeto extensionista sobre as mulheres na história da Filosofia encerra atividades do ano de 2019

8 de novembro de 2019

A equipe do projeto de extensão “As mulheres na história da Filosofia e na sala de aula do Ensino Médio: Ausências, experiências e possibilidades”, coordenado pela professora Maria Simone Marinho Nogueira, do Curso de Filosofia da Instituição, encerrou, na última quarta-feira (6), no Auditório 2 da Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, as atividades de 2019 da atividade extensionista.

O projeto existe desde 2013 e surgiu a partir do questionamento “Existem mulheres na Filosofia?”. Ele faz parte dos resultados do trabalho do grupo de pesquisa Principium, que passou a investigar essa ausência de filósofas no decorrer de toda tradição da área, partindo da Antiguidade, passando pelo Medievo e Modernidade até chegar à Contemporaneidade. As atividades da iniciativa buscam dar visibilidade a essas mulheres, tanto nas universidades quanto nas escolas públicas e privadas.

Em meio a observações e relatos, formação docente, estágios, regras, exceções, projetos de pesquisa e de extensão, livros didáticos, sala de aula e leituras, as pesquisas induziram a investigação sobre a questão de que, se existem filósofas, por que não são conhecidas e como preencher essa lacuna, resgatando a presença de mulheres pensadoras na História da Filosofia.

Assim, alunos e alunas da Escola Cidadã Integrada Assis Chateaubriand foram envolvidos nessas discussões e, no encerramento das atividades deste ano, demonstraram estar conscientes da existência e da importância das mulheres na história da Filosofia. Os estudantes deram uma verdadeira aula para todos que participaram do encerramento, com apresentações e depoimentos bastante fortes acerca do projeto e de como ele foi importante para formação de vida de cada um deles.

Segundo a professora Simone, para além da divulgação, compreensão e debate (em sala de aula) dos textos produzidos pelas mulheres ao longo da História da Filosofia, espera-se, em uma segunda etapa do projeto, produzir um material didático sobre as mulheres filósofas, voltado para o Ensino Médio, com o objetivo de divulgar a Filosofia produzida por elas, ajudando a desconstruir o preconceito de que não há mulheres na Filosofia. Ao mesmo tempo, o produto didático deve servir como material auxiliar aos professores do Ensino Médio, como forma de estimulá-los a incluir nos seus programas de Filosofia as mulheres.