Projeto desenvolvido no Departamento de Letras da UEPB concorre ao prêmio nacional “Educar para Transformar”

5 de junho de 2019

Um projeto desenvolvido pelo Departamento de Letras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) é finalista do prêmio nacional “Educar para Transformar”, do Instituto MRV. A iniciativa, intitulada “Papel na tela”, de autoria da professora Patrícia Rosas, propõe que alunos produzam as próprias biografias e depois façam o roteiro das histórias para a produção de um curta-metragem. A metodologia de execução do projeto consiste em promover círculos de leitura de biografias com os alunos, estimulá-los a produzir suas próprias biografias, além de um documentário curta-metragem com suas histórias de vida.

“Papel na Tela” é o único projeto selecionado da Paraíba que concorre ao prêmio. A votação é aberta, através do link www.institutomrv.com.br/pt/chamadapublicadeprojetos/votacao/18, e segue até o dia 14 de junho. As dez ideias mais votadas recebem, cada uma, o prêmio de R$ 30 mil. No total, foram inscritos 150 projetos de todo o país, sendo selecionados apenas 20 para concorrer ao prêmio. Para votar, é preciso fazer um cadastro rápido (nome completo, CPF, e-mail). Após esse procedimento, o usuário recebe uma senha no e-mail, com a qual deve efetuar o login para votar. Caso seja o vencedor, o projeto será desenvolvido na Escola Estadual Maria Emília de Oliveira Almeida.

De acordo com a professora Patrícia, o projeto será desenvolvido com alunos do Ensino Fundamental, do 6º ao 9º ano, e do Ensino Médio. O objetivo é que os participantes possam fazer um resgate da própria história e reconheçam o espaço que ocupam. Além disso, busca possibilitar aos estudantes a inserção na prática do letramento cinematográfico.“Para nós é uma grande alegria estarmos concorrendo ao prêmio. Estamos muito felizes e somos os únicos da Paraíba na votação. Isso é o reconhecimento da importância do nosso projeto”, comentou a docente.

O desenvolvimento do projeto se dará em três etapas. A primeira delas, chamada “Encantamento da leitura”, consiste na estimulação da leitura de biografias pré-selecionadas. Serão trabalhadas quatro obras, duas delas literaturas estrangeiras (as biografias de Anne Frank e de Malala) e outras duas brasileiras. “São histórias de superação de pessoas que, através da leitura e da escrita, tiveram suas vidas transformadas”, explicou professora Patrícia.

No segundo momento, será realizado um resgate das histórias dos estudantes, no qual os alunos produzirão suas autobiografias. Essa produção será feita a partir da história dos alunos e suas famílias, em uma volta ao passado e reconhecimento do espaço que cada um ocupa. Nessa etapa, acontecem aulas de campo. A terceira e última etapa será a construção de um documentário em formato de curta-metragem com as histórias dos estudantes, onde eles viram roteiristas para contar suas histórias a partir da realidade social em que estão inseridos, envolvendo toda a comunidade, desde os alunos do Ensino Fundamental II envolvidos no projeto, professores e a comunidade em torno da escola.

“A proposta do nosso projeto é trabalhar do papel a tela, daquilo que vai ser produzido na sala de aula para aquilo que vai ser produzido nas telas. A principal proposta é ser multidisciplinar e inserir os alunos nos multiletramentos, principalmente os digitais”, frisou Patrícia. A ideia é que as histórias sejam levadas para exibição no cinema, graças a uma parceria com a Coordenação de Comunicação (Codecom) da UEPB.

Texto: Severino Lopes