Projeto “Cinema de Bairro” inicia exibições de produções paraibanas com ação na SAB do Jardim Borborema

16 de Maio de 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

Produções paraibanas em destaque e comunidades com acesso a trabalhos audiovisuais de qualidade. A junção desses fatores dá o tom do projeto de extensão “Cinema de Bairro: difusão da produção audiovisual da Paraíba”, desenvolvido pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), sob a coordenação do professor do curso de Jornalismo, Rômulo Azevedo, através do Cineclube Machado Bittencourt. As atividades do projeto começaram na última segunda-feira (14), quando foi realizada exibição de produções audiovisuais na Sociedade dos Amigos de Bairro (SAB) do Jardim Borborema.

O público presente se envolveu ativamente na atividade, aproveitando as exibições para terem um momento de lazer e enriquecerem seus conhecimentos culturais. Foram exibidos quatro curtas produzidos na Paraíba e um no Rio de Janeiro. Foram eles: “O som do aboio”, “O hóspede”, “Malassombrado”, “Corta essa” e “Arroz com feijão”. A diretoria da SAB enalteceu a iniciativa da UEPB de levar o audiovisual paraibano para as plateias que não têm acesso a estes filmes. Após a sessão, houve um debate com os moradores dos bairros sobre os conteúdos das produções.

O projeto também já realizou exibições na noite desta terça-feira (15) no bairro Jardim Continental, novamente com significativa participação do público local. “Cinema de Bairro” ainda terá exibições nos bairros do Centenário (hoje), Monte Castelo (dia 17), Catolé (dia 18), Tambor (dia 23), Conceição (dia 24) e Bodocongó (dia 25).

O calendário com o restante da programação das demais SABs contempladas pelo projeto será definido em breve e a proposta é, nessa primeira etapa de execução do projeto, percorrer 22 bairros. A iniciativa conta com total apoio das associações de moradores de Campina Grande, incluindo SABs e Clubes de Mães. Com o desenvolvimento do projeto, a coordenação pretende, futuramente, realizar oficinas de cinema com os moradores de cada bairro visitado, incentivando-os a participar como atores, produtores, diretores e cenógrafos. Para isso, os participantes receberão treinamento ministrado pela equipe do projeto, que envolve ainda cinco estudantes de jornalismo, bolsistas.

Rômulo Azevedo destaca que a Paraíba é o terceiro Estado do Nordeste que mais produz filmes de curta metragem, perdendo apenas para Pernambuco e Bahia. A maioria dos filmes produzidos na Paraíba, segundo ele, é patrocinado com verbas públicas, através de editais que são alicerçados em renúncia fiscal. Apesar de “financiar” as produções, o povo não tem acesso aos filmes e, muitas vezes, nem sabe que eles existem, porque os curtas geralmente são exibidos em salas fechadas, nos festivais ou em outros circuitos. “Então, tivemos a ideia de criar um projeto para apresentar para o povo, através do Cine Clube, os filmes que são produzidos por eles mesmos”, explica.

O Cineclube Machado Bitencourt foi criado em abril de 2006, no Departamento de Comunicação da UEPB, tendo à frente o professor Rômulo Azevedo. O projeto tem como objetivo exibir filmes nacionais e internacionais que estão fora do mercado, produções independentes e clássicos do cinema. As exibições acontecem em uma das salas da Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó. Além disso, visa formar novas plateias, educar cinematograficamente os amantes da sétima arte, bem como incentivar a criação de um núcleo de cinema no DECOM para estudo e análise de filmes e tendências cinematográficas da contemporaneidade.