Professora do Departamento de Farmácia da UEPB recebe premiação por trabalho sobre Cuidados de Saúde

1 de dezembro de 2017

Os docentes da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) vêm se destacando continuamente, não apenas no próprio Estado, mas também em todo o Brasil e até no exterior, disseminando o conhecimento da Instituição em várias regiões. Desta vez, foi a professora Patrícia Trindade Costa Paulo, lotada no Departamento de Farmácia do Câmpus I, em Campina Grande, que demonstrou os resultados dos esforços de sua equipe e obteve a quinta colocação dentre os dez melhores trabalhos premiados no 1º Congresso Brasileiro de Ciências Farmacêuticas (CBCF), realizado em Foz do Iguaçu (PR), entre dias 15 e 18 de novembro.

O evento, que trouxe a temática “Farmacêutico das Américas: cuidar, inovar e educar”, reuniu profissionais, pesquisadores, entidades farmacêuticas parceiras, estudantes e convidados de diversos estados, com a proposta de discutir um novo fazer farmacêutico no sistema de saúde e reconhecer as potencialidades do farmacêutico no processo de atenção e promoção da saúde da população brasileira.

Inscrita no eixo temático “Cuidado em Saúde”, área que discutiu o cuidado farmacêutico nos diferentes níveis de atenção e lugares de atuação, saúde estética, práticas integrativas e complementares e segurança do paciente, a professora Patrícia apresentou o trabalho “Seguimento Farmacoterapêutico a pacientes pediátricos oncológicos hospitalizados”, que concorreu com cerca de 900 outros selecionados.

O trabalho, vinculado ao Grupo de Pesquisa em Cuidados Farmacêuticos e ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC), reúne três professores cadastrados e mais 12 alunos orientandos. Durante os estudos, a equipe acompanhou 95 pacientes, entre 0 e 15 anos, da Ala Pediátrica Oncológica do Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), em Campina Grande, os quais, além da quimioterapia rotineira, também fazem uso de medicamentos de suporte,sejam para náuseas, antimicrobianos, analgésicos, entre outros.

A professora calcula uma média de onze medicamentos de suporte utilizados por cada criança e o objetivo do grupo neste estudo era avaliar se havia problemas relacionados a estes medicamentos como, por exemplo, incompatibilidades, problemas de interação medicamentosa, reações adversas, falta de eficácia terapêutica, entre outros.

“Quando identificávamos algum problema, comunicávamos à equipe médica para, se fosse o caso, mudar algum procedimento terapêutico”, explicou a professora, que também afirma ser de responsabilidade dos profissionais de Farmácia avaliar o uso do medicamento e se ele é necessário, seguro e efetivo para o tratamento. “Estou muito satisfeita com a premiação, pois concorremos com os grandes estados da Federação, que têm maiores possibilidades de financiamentos e atualizações profissionais. Isso ratifica que, enquanto instituição de ensino, pesquisa e extensão, estamos no caminho certo, pois este foi um trabalho resultante do PIBIC”, ressaltou Patrícia Trindade sobre a conquista.

Paralelamente ao evento também ocorreram, na mesma oportunidade, o 6º Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos, o 1º Congresso Pan-Americano sobre o Uso Racional de Medicamentos, o 1º Congresso Latino-Americano de Estudantes de Farmácia, o 2º Congresso Brasileiro de Farmácia Estética, o 2º Simpósio Farmacêutico de Nutracêuticos e o 3º Encontro Nacional de Educadores em Farmácia Clínica, todos referência na área de Farmácia.

 

 

Texto: Giuliana Rodrigues
Foto: Divulgação