Docentes da UEPB estudam prospecção de bactérias endofíticas em arroz vermelho com potencial biotecnológico

25 de Abril de 2017

A pós-graduação da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) continua avançando e fazendo descobertas científicas importantes. Prova disso é que professores do Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (PPGCA) da Instituição aprovaram junto ao Conselho de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e conquistaram financiamento do instituto alemão de pesquisas Helmholtz Zentrum München – Deutsches Forschungszentrum für Gesundheit und Umwelt para o desenvolvimento de projeto para prospecção de bactérias promotoras de crescimento vegetal (BPCV) no semiárido brasileiro.

O projeto, coordenado pelo professor Carlos Henrique Meneses, tem como objetivo selecionar isolados de BPCV autóctones de arroz vermelho crescendo sob condições semiáridas, com base em suas características de mitigar a condição de estresse em arroz vermelho. Estas bactérias colonizam muitas espécies de plantas e conferem efeitos benéficos, como o aumento do crescimento vegetal e redução da susceptibilidade a vários tipos de estresses ambientais. No entanto, poucos relatos têm sido publicados sobre BPCV como indutores de tolerância a estresses abióticos, como a seca, a salinidade e a deficiência ou excesso de nutrientes. A tolerância à seca para algumas plantas pode ser induzida pela inoculação de BPCV adaptadas às condições limitadas de água do solo.

Segundo o coordenador do projeto, a presença dos microrganismos associados às plantas sob condições de seca pode revelar uma interação evolutiva, principalmente quando organismos benéficos são encontrados. O entendimento dos microrganismos associados a plantas cultivadas em ambientes semiáridos podem proporcionar o desenvolvimento de novas tecnologias na formulação de inoculantes para plantas mitigando a condição adversa.

“A proposta considera que o arroz vermelho é uma cultura agrícola de grande interesse econômico regional e, portanto, a expansão da cultura deve ser de interesse nacional. A zona do Sertão paraibano é frequentemente afetada por longas estiagens e toda a população sertaneja sofre com esse problema. Contudo, é considerada um grande polo da economia rural paraibana, sendo referência na produção agrícola e pecuária no Estado”, destaca o professor Carlos Henrique.

O projeto vem disponibilizar informações técnico-científicas à demanda crescente do cultivo de arroz vermelho inoculado em condições de sequeiro de base familiar no Nordeste brasileiro e, com isso, propiciar geração de informações que mantenham esta cultura de forma sustentável em áreas que sofrem com a seca no Estado da Paraíba. O estudo de mitigação de estresses abióticos em arroz vermelho com a utilização de BPCV já vem sendo explorado e já foi objeto de vários Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) e dissertações de mestrado na UEPB desde 2013, o qual já obteve um fomento inicial durante três anos pelo CNPq.

Pesquisadores e estudantes de graduação e pós-graduação do PPGCA realizarão pesquisas no Nordeste em Genética de microrganismos interagindo com pesquisadores de outras áreas. O projeto com forte componente na área de produção científica na área das Ciências Agrárias é coordenado pelo professor Carlos Henrique Meneses, que é docente do Departamento de Biologia do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e docente permanente do PPGCA. Segundo ele, a aprovação da proposta coloca a Paraíba como destaque no cenário nacional e internacional na área das Ciências Agrárias e significa um grande reconhecimento para os pesquisadores do PPGCA da UEPB, que vem propiciando a importante integração de profissionais da área.