Núcleo de Estudos em Biopolítica e Filosofia promove minicurso sobre o pensamento nietzschiano

14 de novembro de 2017

O Núcleo de Estudos em Biopolítica e Filosofia Contemporânea, vinculado ao Departamento de Filosofia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), promoverá durante os dias 6 e 7 de dezembro o minicurso “Sobre os desdobramentos do pensamento nietzschiano: de Bataille a Derrida, o movimento pós-estruturalista em foco”, ministrado pelo doutorando vinculado à Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Thiago Gomes da Silva Nunes. A atividade é gratuita e aberta a todos os alunos da Instituição. Para participar basta enviar e-mail para o endereço biosuepb@gmail.com solicitando a inscrição.

Os encontros serão realizados na Central de Integração Acadêmica, Sala 127, 1º andar, Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, com início sempre às 15h. O Núcleo de Estudos em Biopolítica e Filosofia Contemporânea é coordenado pelo professor Thalles Azevedo de Araújo e está vinculado ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Sobre o minicurso, o coordenador afirma que o pós-estruturalismo foi uma das mais influentes correntes do pensamento continental do século XX, destacando-se especialmente por suceder o existencialismo ao se tornar a grande tendência filosófica da França nos anos 60. Sendo assim, a influência que Friedrich Nietzsche (1844-1900) exerceu sobre esse movimento foi enorme, sendo, portanto, o pensamento nietzschiano um traço em comum entre quase todos grandes representantes do pós-estruturalismo.

O professor Thalles Azevedo ainda acrescenta que o potencial da obra nietzschiana não passou desapercebida de uma série de pensadores da década de sessenta que, rompendo com os pressupostos estruturalistas, que basicamente sustentavam a possibilidade de compreensão dos fenômenos humanos por meio dos sistemas que os abarcavam, buscaram em Nietzsche as sementes para uma nova forma de pensar.

“É neste sentido que podemos lançar uma luz sobre o enigmático movimento pós-estruturalista a partir da leitura feita pelos principais representantes desse movimento sobre a obra de Nietzsche, o que vai de Georges Bataille (1897-1962), passando por Gilles Deleuze (1925-1995) e Michel Foucault (1926-1984), chegando a Jacques Derrida (1930-2004), nomes que resguardam o mérito de terem revivido o interesse pelos estudos de Nietzsche, esforçando-se para desvinculá-lo da carga negativa deixada pelo nazismo”, explicou.

 

Texto: Givaldo Cavalcanti