Museu de Arte Popular da Paraíba terá lançamento de livreto, exposição e feira de cordéis sobre Jackson do Pandeiro

23 de agosto de 2019

Na próxima terça-feira (27), a partir das 13h, o Museu de Arte Popular da Paraíba (MAPP), que tem como mantenedora a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, sediará o lançamento do livreto “100 fatos dos 100 anos de Jackson”, de autoria de Jocelino Tomaz de Lima. O evento contará ainda com uma exposição do acervo do escritor, compreendendo a vida e a obra do Rei do Ritmo e uma feira de cordel temática. A entrada é franca.

Serão exibidos a primeira fita cassete gravada por Jackson, em 1958, alguns LP’s, entre eles o primeiro, datando de 1953, filmes, revistas, objetos, jornais, trabalhos acadêmicos versando sobre o ritmista e CD’s. Além disso, o destaque da programação é uma nova música de Jackson, descoberta por Jocelino em julho deste ano, num sebo de São Paulo. Lá ele adquiriu um compacto simples, efetuado pelo artista em 1966 e oriundo da gravadora Continental, com duas músicas.

Segundo Jocelino, nem os biógrafos nem os livros especializados na discografia de Zé Jack registraram o compacto, que somente agora está sendo conhecido do grande público. No lado A, está a música “Frevo do tri”, feita por Jackson especialmente para celebrar a conquista do Brasil na Copa do Mundo da Inglaterra, naquele ano. Contudo, o tricampeonato mundial não veio em 1966 e o material foi retirado de catálogo, caindo no esquecimento. Todavia, é no lado B do disco que está a raridade: o samba “Garota de Botafogo”. Durante a iniciativa, Jocelino presenteará o MAPP com a canção.

Jocelino explicou que já gostava de Jackson, mas passou a se interessar verdadeiramente pelo artista quando teve acesso à biografia “Jackson do Pandeiro: o Rei do Ritmo”, de Fernando Moura e Antonio Vicente, saída em 2001. “Fiquei encantado com a história dele e decidi começar uma pequena coleção sobre o tema”, disse. Logo depois, ele escreveu o livreto “100 fatos dos 100 anos de Jackson do Pandeiro”. A publicação tem 12 páginas e reúne acontecimentos retirados das obras que leu sobre o ritmista, incluindo “A musicalidade de Jackson do Pandeiro” (2011), escrita pelo pesquisador Inaldo Soares e “Jackson do Pandeiro na Literatura de Cordel” (2019), de Kydelmir Dantas. “Procurei elencar o que foi mais marcante, curiosidades, destaques da discografia, perfazendo uma visão geral desse centenário também com fatos posteriores à morte dele, regravações, monumentos e homenagens”, relatou.

A exposição de Jocelino, que é funcionário da Justiça e ativista cultural da cidade de Caiçara, já passou por Dona Inês, Guarabira, João Pessoa e Lagoa de Dentro, entre outros municípios, sendo uma promoção do Grupo Atitude, fundado por ele em 2005. “O Grupo tem o objetivo de promover o incentivo à leitura, por meio de bibliotecas comunitárias em Caiçara. Hoje, 40 pessoas participam dele, sendo a maioria professores e alunos. Foi iniciado com uma casa de leitura em 2005 e atualmente é composto por três bibliotecas comunitárias e pontos de leitura. Temos parcerias com comerciantes, escolas, desenvolvemos projetos natalinos e até já ganhamos um prêmio nacional”, explanou. Outras informações podem ser obtidas por meio do telefone (83) 3310-9738.

Texto: Oziella Inocêncio
Fotos: Divulgação