Laboratórios de Rádio e Telejornalismo do Departamento de Comunicação ganham nova e moderna estrutura

11 de agosto de 2017

Este slideshow necessita de JavaScript.

Muita coisa mudou desde a criação do curso de Comunicação Social, hoje Jornalismo, da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), há 41 anos. Do gravador analógico, passando pela máquina de escrever, até o advento da internet, da rádio e TV Eeb, e o surgimento das mídias digitais, o curso assistiu as grandes transformações tecnológicas e formou, ao longo desse período, centenas de profissionais.

Agora, o curso entra em nova fase. A despeito de todas as restrições orçamentárias e das crises que inevitavelmente respingam sobre a Instituição, os investimentos feitos no Departamento de Jornalismo já asseguram aos alunos ter acesso às ferramentas que lhes permitem acompanhar as grandes tendências da comunicação moderna. Recentemente, a Administração Central da UEPB, em uma ação envolvendo também a Coordenadoria de Comunicação Institucional (CODECOM), estruturou os laboratórios de Rádio e TV para se adaptar as exigências das novas tecnologias e assegurar o desenvolvimento prático das atividades dos futuros jornalistas.

Os laboratórios de Radiojornalismo e Telejornalismo receberam novos equipamentos, mobiliário e estrutura. A reforma e estruturação do laboratório de Rádio possibilitou uma melhoria na acústica do ambiente, proporcionando aos técnicos desempenhar suas atividades com mais qualidade e, aos estudantes, melhor qualidade na produção jornalística. Elvis Guimarães é técnico administrativo e trabalha no laboratório. Ele garante que a partir de agora, com o isolamento acústico, as gravações serão bem melhores e nítidas, contendo, por exemplo, os vazamentos de sons.

As novas instalações contam com ilha de edição, estúdio com tratamento acústico e equipamentos modernos que despertam entusiamo nos alunos de Jornalismo. Como aluna bolsista, Dayara Sousa disse que as inovações têm ajudado a estimular os estudantes que antes sentiam falta de um espaço próprio para comportar todos os programas desenvolvidos nos laboratórios.

Professora da disciplina de Radiojornalismo, Gorete Sampaio ressalta que nos tempos atuais os futuros jornalistas não têm mais como pensar em produzir notícias para os meios de comunicação tradicionais, desatrelados desse novo ambiente digital, implantado com o advento de era tecnológica. “O rádio se insere nesse contexto e claro que aqui no laboratório vamos ter toda essa facilidade de poder produzir com essa nova ambiência, nessa convergência de mídias, numa linguagem totalmente diferente do que se fazia no rádio de outrora”, destacou.

Além do laboratório de radiojornalismo, em breve será inaugurada a nova estrutura do laboratório de telejornalismo. O estúdio já está pronto e totalmente equipado, restando apenas alguns ajustes para entrar em pleno funcionamento nas aulas práticas de Telejornalismo. Os futuros jornalistas já comemoram a conquista, uma vez que a partir de agora poderão produzir reportagens e documentários em um espaço que favorece o trabalho.

As novas instalações permitirão aos alunos de Telejornalismo ter suas produções audiovisuais com padrão de alto nível. “As instalações ficaram muito bonitas e bem organizadas. Agora os alunos de Jornalismo têm a oportunidade de se sentirem próximos do que na realidade é um estúdio de TV. O contato dos alunos com essa realidade ajuda a entender como vai ser quando chegar no mercado de trabalho”, destacou a estudante Ariana Barbosa.

A chefe do Departamento de Jornalismo, professora Socorro Palitó, destaca que a luta para estruturar os laboratórios é antiga. Segundo ela, historicamente, o curso de Jornalismo sempre teve uma deficiência no que diz respeito a aquisição de equipamentos, mas hoje vive uma nova realidade. “Hoje podemos dizer que é o melhor momento do curso de Jornalismo, com a reestruturação e com a reequipação de todos esses laboratórios. Todos os alunos do curso serão beneficiados”, enfatizou.

Conforme Socorro, no momento atual do jornalismo não existe apenas o aluno de Telejornalismo e Radiojornalismo, mas de outras disciplinas que utilizam os laboratórios para produzirem conteúdos como documentário audiovisual, comunicação multimídia e uma série de outras disciplinas. A restruturação dos laboratórios do Departamento de Jornalismo foi possível graças ao esforço da Administração Central da UEPB, da direção de Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) e da Coordenadoria de Comunicação Institucional (CODECOM).

 

Texto: Severino Lopes
Fotos: Divulgação