Nutes UEPB entrega cerca de mil protetores faciais a profissionais de saúde que atuam no combate à Covid

30 de março de 2020

A rede de impressão 3D montada pelo Laboratório de Tecnologias 3D (LT3D), pertencente ao Núcleo de Tecnologias Estratégicas em Saúde (Nutes) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), já entregou, até a última sexta-feira (27), quase mil protetores faciais a profissionais de saúde da Paraíba que trabalham diretamente no enfrentamento à Covid-19. Os equipamentos de proteção individual foram distribuídos gratuitamente a hospitais, Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), Corpo de Bombeiros e Serviços de Atendimento Móvel (SAMUs) das regiões de Campina Grande, João Pessoa, Cariri e do Sertão.

Na região de João Pessoa, que inclui Cabedelo e Santa Rita, foram entregues 410 protetores faciais a 19 locais, entre hospitais, UPAs e SAMU. As instituições que compõem a rede de impressão junto ao Nutes na Capital do Estado inclui a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), através do FabLab;, o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) – Câmpus João Pessoa; além de empresas privadas e pessoas físicas que se dispuseram a colaborar com a iniciativa, a exemplo de Rinaldo Rodopiano, Rafael Targa, André Ricardo Rocha, Cristiano Santos, Natália e Carlos, Thiago Jucá, Anderson Castanheira, Jonata Medeiros, Ygor Oliveira, Lindemberg Ribeiro, Said Zareh, Andréa Lima e Samuel Bartolino.

A rede do Sertão do Estado é formada pelo Câmpus da UEPB em Patos e pelos câmpus do IFPB de Catolé do Rocha, Princesa Isabel e Patos. Na região, foram entregues 100 protetores faciais em 13 unidades de saúde das cidades de Patos, Santa Luzia, Cajazeiras, Catolé do Rocha, Pombal, Sousa e Princesa Isabel. Em Campina Grande, o Nutes fez a entrega de 452 unidades em 20 locais, incluindo cidades do Cariri.

Os protetores faciais foram entregues aos hospitais da cidade, UPA do Alto Branco, SAMU, Corpo de Bombeiros e Secretaria Municipal de Saúde. As instituições e empresas que participaram da confecção do material foram LaMMEA UFCG, Unifacisa, Orofacial, FabLab UAEP/UFCG, IFPB – Câmpus de Monteiro, SPLAB UFC, Phaserstudio3d, Promedil e R9 Engenharia e Tecnologia. Também contribuíram pessoas físicas que tinha impressora 3D em casa, como Jairo Marques Pereira, Alexandre Sales Vasconcelos, Felipe Rudolfe C. Pinheiro, Marlon Costa, Rodrigo Dias de Almeida Maia, Ubiratan da Nóbrega Borges, Rômulo Vasconcelos Pereira e Pedro Galdino.

De acordo com o engenheiro Rodolfo Castelo Branco, coordenador Técnico do LT3D que desenvolveu o projeto do protetor facial, todos os envolvidos na rede receberam o arquivo com o projeto do protetor para que pudessem seguir o padrão. “Enviamos o arquivo para a UFPB, IFPB, UEPB de Patos e toda a rede envolvida nesta iniciativa a fim de manter o padrão necessário para a produção do protetor facial”, destacou Rodolfo.

A coordenadora do Laboratório de Tecnologias 3D do Nutes, Yasmyne Martins, destacou a importância dessa rede para atender ao grande número de pedidos que surgiram após a notificação do primeiro caso na Paraíba. “Seria impossível para o Nutes conseguir produzir sozinho a quantidade que entregamos. Nossos parceiros têm trabalhado incansavelmente conosco, 24 horas por dia, sete dias por semana para que esses protetores cheguem o mais rápido possível aos profissionais de saúde”, destacou.

Texto: Leonardo Alves
Fotos: Divulgação