Discussões sobre estilo de vida saudável e prevenção de câncer são realizadas em simpósio na UEPB

2 de dezembro de 2019

A obesidade voltou a crescer no Brasil. Pesquisa recente, desenvolvida pelo Ministério da Saúde, mostra que enquanto parte dos brasileiros incorporou mais frutas e hortaliças à dieta e tem se exercitado mais, outra parcela da população está ficando mais obesa. Os dados apontam que houve um aumento de 67,8% do índice de obesos no país nos últimos 13 anos, saindo de 11,8% em 2006 para 19,8% em 2018. A Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), por meio do Mestrado em Saúde Pública, tem atuado no enfrentamento desse problema e procurado estimular um estilo de vida saudável à população paraibana.

Uma das iniciativas da Instituição é o “Projeto de pesquisa, extensão e formação de gestores e trabalhadores da atenção primária em saúde para controle e enfrentamento da obesidade na Paraíba”. Financiado pelo Ministério da Saúde e aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o projeto conta com a parceria de pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).

Como parte das ações dessa iniciativa, a UEPB, através do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública, se tornou parceira do 1º Simpósio Paraibano de Prevenção ao Câncer, Práticas e Estilo de Vida Saudável”, que acontece até esta terça-feira (2), no Auditório 2 da Central de Integração Acadêmica da Universidade Estadual, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, em uma promoção da Secretaria Estadual de Saúde. O evento está reunindo cerca de 150 pessoas, entre pesquisadores, agentes que atuam na assistência básica, médicos, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais de municípios que compõem a chamada 2ª macroregião de Saúde do Estado.

A professora do Mestrado em Saúde Pública, Carla Campos Muniz Medeiros, observou que o Simpósio tem relação direta com o projeto de pesquisa, visto que ajuda, por meio de formação, os agentes de saúde a atuarem no enfrentamento da obesidade. Na perspectiva de superar os desafios para a execução de políticas públicas de saúde e assistência social, bem como fortalecer a intersetoriedade, o Simpósio foi aberto pela gerente de atenção básica do Estado, Rayanna Coelho, e pela diretora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da UEPB, professora Alessandra Teixeira.

Professora Alessandra destacou a importância da parceria coma Secretaria de Saúde e enfatizou que o combate ao câncer e o enfrentamento da obesidade, por meio de um estilo de vida saudável, são temáticas abordadas em diversos projetos do CCBS. “Essa parceria da academia com os profissionais de saúde é imprescindível. A partir das experiências que os profissionais vivenciam junto à comunidade, são desenvolvidas pesquisas em benefício da população”, salientou.

Coordenadora geral do evento, Rayanna Coelho destacou que a finalidade do Simpósio é sensibilizar os municípios sobre a prevenção do câncer de forma intersetorial. A palestra de abertura, “Alimentos ultraprocessados e os riscos à saúde”, foi ministrada pela nutricionista Carolina Moreira de Santana, seguida de ações da Aliança Pela Alimentação. Em sua exposição, Carolina falou dos diversos tipos alimentos, das mudanças dos hábitos alimentares para ter uma vida saudável, das características dos alimentos e de como é possível consumir proteínas e nutrientes na hora da refeição.

O simpósio segue à tarde, com a palestra “Teorias de Mudança de Comportamento”, com a professora da UEPB, Silvana Santos, coordenadora do Mestrado de Saúde Pública da UEPB. Em seguida, está programada a apresentação de uma experiência exitosa, executada na Creche Walnyza Borborema Cunha Lima. O evento segue nesta terça-feira, com a videoconferência “Atividade Física e Prevenção do Câncer”, com o médio Fábio Carvalho, do INC; apresentação de experiência exitosa e dos indicadores do Estado; e apresentação do Plano de Enfrentamento às Doenças Crônicas – Proposta de Pactuação com os Municípios, com Socorro Pires, técnica da SES e coordenadora do Grupo Condutor de Doenças Crônicas.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Givaldo Cavalcanti