Ciclo de palestras realizado no Câmpus II da UEPB destaca avanços da produção agroecológica de batata

9 de setembro de 2019

O Centro de Ciências Agrárias Ambientais (CCAA) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), localizado no Câmpus II, em Lagoa Seca, realizou recentemente uma atividade voltada para a produção da batata Solanum tuberosum (chamada de batatinha) e as novas tecnologias empregadas no cultivo do produto. O 53° Ciclo de Palestra Álvaro Santos Costa sobre Viroses da Batata e Tecnologias IAC do Broto/Batata-Semente teve como palestrante o pesquisador José Alberto Caram de Souza Dias, do Instituto Agronômico de Campinas.

O evento, realizado pelo Centro Vocacional Tecnológico (CVT) de Agroecologia e Produção Orgânica, Agrobiodiversidade do Semiárido, em parceria com a Comissão Territorial da Batata Agroecológica da Borborema e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), ocorreu no Auditório do Câmpus II da UEPB, ao longo de toda a manhã do dia 30 de agosto. Os participantes foram recepcionados com um café da manhã elaborado com produtos agroecológicos.

A mesa do evento foi composta pelo diretor adjunto do CCAA, professor Messias Firmino de Queiroz; pela coordenadora do CVT de Agroecologia e Produção Orgânica, professora Élida Barbosa Corrêa; pelo coordenador do Mestrado em Ciências Agrárias, professor Alberto Soares de Melo; e pelo pesquisador José Alberto Caram de Souza Dias, do Instituto Agronômico de Campinas (IAC). Participaram ainda desse momento o agricultor Nelson Ferreira, representante do Polo Sindical da Borborema; a agricultora Anilda Pereira Batista, presidenta da Associação Ecoborborema; o assessor Técnico da ASPTA, Wagner dos Santos Lima; e o representante da EMPAER, João Paulo da Silva Macedo.

No total, 120 pessoas participaram do Seminário, sendo 68 estudantes técnico, graduação e pós-graduação, nove professores, 15 agricultores, 20 técnicos/assessores e oito participantes nas categorias de Secretarias de Agricultura e Representantes de Sindicato do Polo da Borborema. Durante o evento, o agricultor Nelson Ferreira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Lagoa Seca, destacou a histórico da Batata Agroecológica no território da Borborema, suas dificuldades e os avanços que foram trazidos.

Já o pesquisador José Alberto Caram de Souza Dias, apresentou a tecnologia de produzir batata-semente a partir do broto da batata-semente básica de batata. Conforme professora Élida Corrêa, o Seminário teve extrema importância para os agricultores presentes, estudantes, extensionistas, assessores, professores, pois a tecnologia abordada é uma alternativa para promover a independência das famílias agricultoras quanto a batata-semente, sendo possível a produção de batata-semente orgânica na Paraíba pelos próprios agricultores.

Na parte prática do Seminário, em Areial, os participantes visitaram um campo de produção de batata agroecológica e reconheceram os sintomas de viroses e agentes transmissores de vírus, assim como a produção da batata no campo. O Seminário ainda contou com apresentações artísticas de estudantes e agricultores, com a declamação de versos.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Divulgação CVT