CCHA e Escola Agrotécnica do Cajueiro realizam solenidades de conclusão de curso das turmas 2019.2

19 de dezembro de 2019

O Centro de Ciências Humanas e Agrárias (CCHA) e a Escola Agrotécnica do Cajueiro da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) realizaram, nesta quarta-feira (18), respectivamente, as solenidades de Colação de Grau dos cursos de graduação do Câmpus IV e de entrega de certificados para os formandos do Curso Técnico em Agropecuária Subsequente ao Ensino Médio. Ambas as cerimônias foram presididas pelo reitor em exercício da UEPB, professor Flávio Romero Guimarães.

Colaram o grau acadêmico os concluintes 2019.2 das licenciaturas em Ciências Agrárias e Letras, bem como dos cursos de Educação Física e Pedagogia, pelo Programa Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR). Escolhida para prestar o juramento dos concluintes, a estudante Amanda Roque, do Curso de Letras/Português, endossou o compromisso que todos os estudantes fizeram em se comprometer a desempenhar sua profissão com ética. Já o Orador Oficial das turmas concluintes, Magno de Souza Carneiro, do Curso de Educação Física, relembrou obstáculos superados ao longo da jornada de formação, bem como agradeceu a todos os que acreditaram no desempenho dos formandos.

“Cada um teve o seu quinhão no todo do conhecimento que fomos adquirindo no decorrer do curso. Evoco aqui a retenção de nosso aprendizado que, em meio a tantas explosões teóricas e momentos de descontração, nos foi legado. Aprendemos a nunca desprezar ou menosprezar opiniões e contribuições de outros e a sempre discutir ideias, jamais pessoas. Aprendemos a não somente guardar o que nos era ministrado, mas também superar limites, ir além para a obtenção de mais conhecimento”, destacou o Orador.

Já o Paraninfo Geral das turmas concluintes 2019.2, professor Edivan Nunes, agradeceu aos alunos por ter sido escolhido para este momento, destacando o sentimento de celebração que envolve uma solenidade de Colação de Grau. De acordo com ele, este instante de festa é mais uma etapa da vida de cada um que, a partir de agora, ganha um impulso para todas as outras coisas que virão. Ele desejou empenho, força de vontade e dedicação para a nova jornada que todos terão daqui para frente.

“Na condição de Paraninfo, deixo meu último aconselhamento: quando os tempos ficarem difíceis, as portas se fecharem, resistam e se apoiem naqueles que abriram os caminhos para vocês. Lembrem-se dos ensinamentos da palavra e do mundo dada por aqueles que estão contando com vocês para abrirem novos caminhos e segurar o leme da vida. Segurem-se firmes nas oportunidades que virão, busquem e lutem por elas. Afinal, se hoje vocês estão aqui, é porque antes ousaram e se dedicaram a aprender, pesquisar e, portanto, se tornaram vencedores”, discursou Edivan.

A diretora do CCHA, professora Vaneide Lima Silva, também não poupou congratulações aos formandos. Ela destacou a vitória por todos terem chegado a este momento, além de dirigir-lhes palavras reforçando seu compromisso em orientar e ajudar nos futuros projetos profissionais de todos. Já o pró-reitor de Graduação da UEPB, professor Eli Brandão, destacou a força da Instituição que, semestralmente, oferece ao mercado um grande número de profissionais capacitados para seguirem seu caminho no que diz respeito ao desenvolvimento da Paraíba.

O reitor em exercício da Universidade, professor Flávio Romero, também parabenizou aos formandos e, durante seu discurso, desejou que todos que estavam participando do momento não deixassem de sonhar, de valorizar suas memórias e se orgulharem de sua identidade. Citando Mário Quintana e Clarisse Lispector, além da poetisa de Catolé do Rocha, Celina Maria de Meneses, conhecida como Dona Santa, ele desejou sucesso aos formandos e que eles sempre busquem a felicidade, valorizando suas raízes e preservando suas memórias.

“Nossa vida é marcada por sonhos, memórias e identidades. Temos tudo isso. Algumas pessoas imaginam que a vida seja marcada pelo início e pelo fim, ciclos que estão encerrando, mas que na verdade não estão. Eles estão iniciando uma nova fase. Falar de sonhos e raízes é sempre oportuno, principalmente porque estamos em Catolé do Rocha, no CCHA e na Escola Agrotécnica do Cajueiro, para lembrar que o Cajueiro tem raízes profundas e copa, por isso é tão difícil derrubar. Quero dizer aos alunos que estão no processo de recriação e ressignificação da vida, que nós precisamos nos encontrar todos os dias na nossa existência. Uma vida não basta ser vivida, precisa ser sonhada. Não tenham tempo para mais nada. Ser feliz deve os consumir em tudo. Que vocês possam sonhar e serem felizes”, desejou Flávio Romero.

A conferência do Grau Acadêmico teve início com o Curso de Ciências Agrárias. O formando Sidnei da Silva Santos representou seus colegas de turma e recebeu o grau do coordenador do Curso, professor José Alexandro da Silva. Já Scharllet Rayane foi a escolhida para receber o grau acadêmico em nome dos alunos da Licenciatura em Letras, que foi conferido pleo coordenador do Curso, professor Rafael José de Melo. Almirene Monteiro recebeu o grau como representante das turmas de Educação Física e Pedagogia. A coordenadora local do Plano Nacional de Formação de Professores da Educação Básica (PARFOR), professora Benedita Ferreira Arnaud, fez a conferência do grau. O certificado de Láurea Acadêmica foi entregue a estudante do Curso de Letras, Ana Maria Dultra Pereira.

Certificados para os alunos da Escola Agrotécnica

Já a entrega dos certificados para os formandos do Curso Técnico em Agropecuária Subsequente ao Ensino Médio, da Escola Agrotécnica do Cajueiro, foi feita pelo diretor da Escola, professor Edivan da Silva Nunes Junior. Antes, a juramentista, Thamires Alves da Silva, representou seus colegas, enquanto a formanda Milena Braz da Cunha discursou como Oradora Oficial da turma e agradeceu aos professores, relembrou o apoio fundamental dos pais e familiares e projetou uma nova fase da vida de cada um com um misto de desafios e superação.

“Foram anos de dedicação. Cada um com um sentimento único, seja pela realização de um sonho ou pela busca de novos conhecimentos. Aquela ansiedade do início, agora é passada como um filme em nossa cabeça. O companheirismo, as risadas, as discussões e, sobretudo, a amizade ficarão para o resto da vida. Agora sentimos um turbilhão de emoções que marcaram a nossa vida e que jamais esqueceremos. Meu muito obrigado a todos os que fazem a Escola Agrotécnica do Cajueiro, à direção do CCHA, nossos pais e professores, que foram fundamentais para nossa conquista”, disse Thamires.

O diretor da Escola Agrotécnica do Cajueiro, professor Edivan Nunes, parabenizou a conquista dos alunos e reforçou o compromisso em oferecer oportunidades para todos aqueles que buscam aprendizado, novos conhecimentos e desafios na vida. No fim da solenidade, para receber o certificado de conclusão de curso, a concluinte Josilma Ferreira de Melo foi a escolhida para representar seus colegas.

Acesse também: UEPB solicita que concluintes 2019.2 enviem mídias e dados das turmas para atualização do Portal das Placas

Texto: Givaldo Cavalcanti
Fotos: Paizinha Lemos