Biblioteca Átila Almeida disponibiliza acesso à obra rara datada de 1961 sobre igualdade de gênero

9 de março de 2018

Fonte inesgotável de pequisa e detentora da maior coleção de cordéis da América Latina, a Biblioteca de Obras Raras Átila Almeida da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) dá continuidade, neste mês de março, ao projeto “Obra do Mês”, que nasceu com o propósito de facilitar o acesso de pesquisadores, estudantes e professores a obras raras do acervo. Desde setembro, quando foi lançado, o projeto vem expondo uma obra diferente a cada mês. O objetivo é incentivar a leitura e, ao mesmo tempo, divulgar certas especificidades que compõem as prateleiras da biblioteca.

Este mês, a raridade escolhida foi “Enciclopédia da mulher”, publicada pela Editora Globo S.A em 1961. Escolhida propositalmente por conta das comemorações do Dia Internacional da Mulher, a obra fala da igualdade de gênero, um tema atual e recorrente nas discussões contemporâneas, principalmente no que se refere aos seus efeitos de sentido e às relações de poder dentro da sociedade. Com 320 páginas, a obra teve como título original o Encyclopédie de la femme, editado por Fernand Nathan, em Paris, na França, e impresso em 1950.

Publicada há mais de 50 anos, “Enciclopédia da mulher” trata, em 16 seções, escritas majoritariamente por mulheres, das funções sociais femininas nas mais diversas esferas e faixas etárias, como afazeres domésticos, direitos e deveres assumidos por esse grupo social na época. Outros discursos igualmente destacam diretrizes e medidas sobre os padrões físicos femininos ideais.

Em seções como “A mulher e a vida social”, “Horas de folga”, “A conservação da casa e os trabalhos domésticos”, mais do que descrever os comportamentos “apropriados” às mulheres da época, a publicação apresenta discursos que corroboram para uma construção ideológica sobre a mulher submissa, silenciada e oprimida. Essas sessões trazem marcas discursivas de um sujeito histórico controlado pelos dizeres sociais, embora se encontrem diversos trechos em que se ressalta o caráter progressista da obra.

A grande preocupação dos editores da Enciclopédia, no entanto, foi o de reunir em um único volume todos os conhecimentos indispensáveis à mulher moderna. A “Enciclopédia da Mulher” torna-se mais uma importante fonte de estudo e pesquisa sobre a constituição histórica e cultural do feminino no país. A coordenação da Átila Almeida destaca ainda outras obras que pode somar em pesquisas sobre o gênero feminino, a exemplo do Ensayo de um Diccionario de Mujeres Celebres, publicado em Madri, na Espanha, em 1959, com 1.210 páginas, disponível para consulta e pesquisa no Acervo Dr. Bezerra de Carvalho, também pertencente à Biblioteca de Obras Raras Átila de Almeida.

Texto: Severino Lopes