Avaliadores exaltam qualidade dos trabalhos apresentados durante o 25º Encontro de Iniciação Científica

9 de novembro de 2018

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Encontro de Iniciação Científica, promovido pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa (PRPGP) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), é uma grande oportunidade para que os alunos de graduação da Instituição possam começar a trilhar os caminhos da pesquisa ao longo de sua formação. E no encerramento desta 25ª edição, a qualidade dos trabalhos apresentados ao longo dos três dias de evento chamou atenção dos participantes e, sobretudo, dos professores avaliadores que integram um grupo seleto que interage diretamente com as pesquisas apresentadas.

O nível de crescimento e conhecimento que os alunos de Iniciação Científica demonstraram foi reafirmado por dezenas de avaliadores que, na tarde desta quinta-feira (8), participaram da reunião final, no Auditório da Biblioteca Central, no Câmpus de Bodocongó, que destacou os acertos do evento, bem como os pontos que ainda precisam ser observados para a melhoria da atividade. Segundo a professora Maria José Lima, pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UEPB, o sucesso do evento veio após mais um ano de superação e esforço de toda equipe.

“Esse foi mais um ano de esforço e superação de todos os envolvidos. Mas ficamos satisfeitos pela excelência da pesquisa que está ocorrendo na Instituição. Isso vem aumentando na UEPB. O nível de muitos trabalhos que foram apresentados é de Mestrado e não de Iniciação Científica. Então isso nos engrandece, fortalece a nossa pós-graduação porque muitos desses alunos que estão nesse nível vão posteriormente para a pós-graduação nas diversas áreas da UEPB”, ressaltou Maria José.

Avaliadora externa do evento, a professora Soraya de Medeiros, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e representante do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), ressaltou que, além do empenho e comprometimento dos alunos, a contribuição metodológica que o ENIC oferece é de fundamental importância para se continuar pensando em educação a partir das práticas da pesquisa.

“Devemos usar o argumento de educar pela pesquisa. A pesquisa é uma das melhores formas de ensinar. Ela amplia o horizonte e possibilita a realização de avanços não só científicos, mas também sociais. A capacidade de interlocução que os alunos da UEPB comprovaram nas apresentações mostra que o investimento na pesquisa trará um retorno positivo para a sociedade”, destacou Soraya.

Sobre os aspectos que serão revistos para o crescimento do evento para as próximas edições, a professora Maria José Lima afirmou que a comissão organizadora buscará estimular ainda mais os professores a participarem do evento, seja com a inscrição de projetos de pesquisa ou ainda com a integração de alunos que não estão inseridos na Iniciação Científica, mas que possam conhecer esse lado da formação universitária, interagindo e dialogando durante a realização das apresentações das pesquisas.

“Temos que ver aquilo que foi sentido, como a ausência dos orientadores em algumas salas e do envolvimento do docente da UEPB para com o evento. Essa é uma das maiores atividades da Instituição, por isso precisamos ver meios de estimular esses docentes para que eles possam participar de outras formas, levando seus alunos para conhecerem o que é a Iniciação Científica e, sobretudo, criando um diálogo entre a pesquisa e as atividades em sala de aula”, avaliou a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa.

Texto e fotos: Givaldo Cavalcanti