Assinada ordem de serviço para construção da nova pista de atletismo da Universidade Estadual da Paraíba

2 de setembro de 2019

Com 400 metros de comprimento, a pista de atletismo do Departamento de Educação Física (DEF) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) vai ser reconstruída dentro dos padrões exigidos pela Associação Internacional de Atletismo e pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT). Responsável por formar diversos atletas de Campina Grande, a pista foi inaugurada em 1979 como marco no atletismo campinense.

Quarenta anos depois, professores e ex-atletas, muitos deles da turma pioneira do DEF, se reencontraram para um momento histórico. Os campões e medalhistas em importantes competições nacionais deram a última volta na pista. Desta vez, não era treino. A corrida simbólica não valia medalha, mas marcava a despedida de um equipamento que, ao longo de quatro décadas, impulsionou a história do atletismo paraibano.

A corrida, marcada por recordações e muita nostalgia, fez parte da solenidade de assinatura da ordem de serviço para construção da nova pista de atletismo da UEPB. O ato reuniu professores da UEPB, pró-reitores, diretores de Centros, chefe de Departamentos, coordenadores de cursos e esportistas. Entre os presentes, estavam o reitor Rangel Junior; a diretora do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS), professora Alessandra Teixeira; o diretor adjunto do CCBS e professor do DEF, José Pereira; a chefe do Departamento de Educação Física, professora Dóris Nóbrega; o coordenador de Esportes e Lazer da Instituição, professor Eugênio Eloi Moura; entre outros.

A ordem de serviço foi assinada pelo reitor Rangel Junior e pelo engenheiro Marcos Bianco, diretor técnico da empresa Resinsa, responsável pela execução do projeto. O reitor Rangel Junior ressaltou que a atual pista de atletismo do DEF nunca teve as condições técnicas adequadas e um padrão reconhecido para competições esportivas. Mesmo assim, muitos atletas destacaram o nome da Paraíba e de Campina Grande a partir dos treinamentos realizados no equipamento da UEPB.

“Isso revela que nós temos um potencial enorme para formar atletas. A nova pista, além de permitir a formação de atletas dentro de um padrão de qualidade e de proteção à saúde, permitirá que o Departamento de Educação Física possa desenvolver pesquisas que ajudarão na produção científica da Universidade, a partir do desempenho de atletas”, disse. Rangel enfatizou que a instalação da pista dará grande contribuição à prática desportiva, à ciência e toda atividade acadêmica, propiciando ainda melhores condições de ensino, pesquisa e extensão aos alunos de graduação da UEPB.

Remanescente da turma pioneira, o secretário de Esportes e Lazer de Campina Grande, Teles Albuquerque, ressaltou que o momento era emblemático para o esporte campinense. Há 40 anos Teles participava da inauguração da pista antiga. “Essa pista representa a história do atletismo de Campina Grande e região. Daqui saíram campeões como Maria do Carmo, Edvalva Laureano e tantos outros corredores. Aqui nós realizamos a competição de pentatlo nacional e, nesse local, eram realizadas as Olimpíadas Rainha da Borborema, as Olimpíadas do Exército, os jogos escolares e outras competições”, lembrou o secretário.

Diversos atletas que integraram a turma pioneira compareceram ao ato e recordaram os momentos inesquecíveis, a exemplo de Wandemberg Barbosa, José Luiz Ferreira, José Ronaldo Pinto, Agnaldo Ferreira Araújo, Antônio Igo, entre outros. Ex-atleta de ponta, tendo conquistado medalhas em importantes competições nacionais, o professor José Luiz Ferreira se emocionou ao dar a última volta na pista que o projetou no mundo dos esportes. Como aluno da turma pioneira do DEF, ele viu todas as transformações pelas quais a pista passou. Ele frisou que a UEPB dá um novo salto de padrão ao reconstruir a pista como equipamento que vai revigorar a prática do esporte em Campina Grande. “Essa pista tem em si a história de grandes corredores”, frisou.

A chefe do Departamento de Educação Física, professora Dóris Nóbrega, disse que o momento era especial e marcante. Ela salientou disse que traduzia a pista para além de um equipamento, com um olhar de rendimento, de performance de atleta, mas reconhecendo o seu significado maior. “Trata-se de um equipamento social e educacional, que tem a corroborar com o direito da cidade, com o direito ao esporte e com o direito ao lazer. Com certeza, essa pista trará um significado enorme na formação, na expansão do esporte, favorecendo não só os nossos cursos de Licenciatura e Bacharelado, mas ajudando a UEPB na missão de formar profissionais e produzir conhecimento.

O diretor técnico da Resinsa, empresa que ganhou a licitação para a execução da obra, Marcos Bianco revelou que os serviços devem ser iniciados dentro de 10 dias e o prazo para conclusão da obra é de seis meses. Ele garantiu que a pista de 400 metros, com oito raias, será construída com moderna tecnologia que atende as exigências dos organismos internacionais. “Será uma pista completa para o desenvolvimento do atletismo em todos os jogos necessários, certificada pela Associação Internacional de Atletismo”, afirmou.

A obra orçada em R$ 4,6 milhões é fruto de um convênio firmado entre a Universidade e o antigo Ministério dos Esportes, atual Ministério da Cidadania. A contrapartida da UEPB é de 10% do total dos recursos. A pista será construída no Câmpus de Bodocongó e, quando estiver funcionando, vai colocar Campina Grande entre as principais cidades da região Nordeste capaz de oferecer totais condições para a realização de competições das diversas modalidades esportivas do atletismo em níveis regional, nacional e internacional. Os atletas também poderão usar o equipamento para treinos.

Dentro dos mais elevados padrões de qualidade, a pista obedecerá às dimensões e características recomendadas pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAT) e terá um piso sintético com oito raias, em uma área total estimada de 6.300m², tendo uma pista de 100 metros, duas pistas de salto com vara, uma pista dupla para salto triplo e extensão, duas bases para arremesso de peso e martelo, duas pistas para lançamento de dardo e duas pistas para salto em altura.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Tatiana Brandão