A influência das mídias digitais nos cursos de Pedagogia é debatida na 14ª Semana de Pedagogia da UEPB

17 de setembro de 2019

Em tempo de avanço das mídias digitais, é imprescindível para o futuro educador estar conectado com as novas tecnologias e fazer delas ferramentas no processo de construção do saber e do aprendizado. O poder das mídias no processo de formação dos cursos de Pedagogia foi um dos temas a serem abordados no segundo dia de atividades da 14ª Semana de Pedagogia da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), nesta terça-feira (17), no Auditório 2 da Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande.

Com o tema “Do desmonte da educação pública ao patrono da educação nacional: o educador Paulo Freire”, o evento, promovido pelo Departamento de Educação, Coordenação do Curso de Pedagogia e Núcleo Docente Estruturante (NDE), foi aberto na noite da segunda-feira (16) e segue até a próxima sexta-feira (20). Cerca de 300 pessoas, entre estudantes, professores e pesquisadores, estão discutindo as dificuldades que atravessa a educação superior, buscando esperança na Educação como prática da liberdade nos ensinamentos de Paulo Freire.

A palestra de abertura, “O desmonte da universidade pública e o Programa Future-se do MEC”, foi ministrada pelo professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Marcelo Schovich. Na manhã desta terça-feira (17), os participantes se voltaram para um olhar sobre o funcionamento do curso de Pedagogia. A primeira mesa, com o tema “Revisitando o curso de Pedagogia”, teve como debatedores representantes do Núcleo Docente Estruturante e do Centro Acadêmico de Pedagogia. Coordenadoras do curso, as professoras Soraya Maria Barros e Glória Maria Leitão de Melo procuraram mostrar aos alunos todo o funcionamento do curso, tirando dúvidas principalmente dos ingressantes.

Antenada com os desafios da nova era, a coordenação do evento trouxe para a segunda mesa, a temática das novas tecnologias. Intitulada “Pedagogia e Mídias”, a atividade teve como debatedora a professora Maria Lúcia Serafim, que coordena uma linha de pesquisa sobre o tema. A docente enfatizou que existe toda uma preocupação na formação dos professores para que eles estejam inseridos em um cenário de mudança, relativo às tecnologias digitais da informação e da comunicação, não somente aplicando suas práticas didáticas inovadoras, mas conscientes de todas as mudanças que as tecnologias proporcionam no mundo do trabalho e na vida das pessoas.

Para ela, os professores e alunos de Pedagogia e das licenciaturas precisam compreender que a prática docente precisa ser reestruturada e repensada em função dos desafios provocados pelo advento das novas tecnologias. “O professor precisa estar acompanhando as mudanças e se inserindo nelas, se apropriando dos novos modos de pensar e novos modos de fazer e executar práticas pedagógicas que alicercem o aluno nessa nova convivência com as tecnologias”, afirmou.

Chefe do Departamento de Educação, a professora Margareth Maria de Melo disse que a Semana de Pedagogia tem servido para repensar o curso e mostrar a situação vivenciada no país. Com base na palestra de abertura, Margareth disse que os professores e futuros educadores precisam conhecer a realidade do sistema capitalista e os impactos que a educação pública sente em consequência desses interesses. Para ela, toda essa reflexão, que gera angústia, desafia os educadores a assumirem um papel de resistência, para manter o ensino público gratuito e de qualidade.

Citando Paulo Freire, Margareth enfatizou que a Educação é um caminho para transformar a realidade da sociedade. Sobre as mídias digitais, ela lembrou que o Curso de Pedagogia tem dois componentes curriculares que tratam da informática na Educação, sendo necessário aos estudantes se inteirarem de como essas mídias influenciam no processo educacional.

A estudante Laurinda Celerino da Silva está no 6º período do curso e disse que a Semana de Pedagogia tem sido uma oportunidade para todos os alunos conhecerem a referida graduação. Para ela, os debates ajudam os alunos a descobrirem se realmente estão identificados com o curso. O evento segue com palestras, mesa redonda e oficinas. O encerramento ficará por conta do professor da UEPB, Sebastian Sanches, com a palestra “Paulo Freire e a educação como prática da liberdade”.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Ricardo Júnior (Estagiário)