2º Encontro de Formação de Professores em Línguas Estrangeiras debate formas de diálogos entre linguagens

20 de novembro de 2019

Em tempos de revolução tecnológica e do surgimento de novas formas de comunicação, a formação de alunos e professores em línguas estrangeiras não deve se resumir apenas a linguagem oral e escrita. As novas práticas ensino perpassam esse universo e envolvem outros elementos da semiótica, como a imagem, o áudio, o espaço, o movimento, cor e gestos. Essas formas de multiletramento e letramento foram debatidas nesta quarta (20), durante o 2º Encontro de Formação de Professores em Línguas Estrangeiras (Inglês e Espanhol), promovido pelo Grupo de Pesquisa Formação Docente em Línguas Estrangeiras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

O evento foi realizado no Auditório 3 da Central de Integração Acadêmica, no Câmpus de Bodocongó, em Campina Grande, e reuniu estudantes e professores dos cursos de Inglês, Espanhol e Português com língua estrangeirs. Com o tema central “Diálogos entre Linguagens, Tecnologia e Formação de Professor em Línguas Estrangeiras”, o encontro foi aberto pela professora Daniela Gomes de Araújo Nóbrega, coordenadora do Grupo de Pesquisa.

Todas as atividades realizadas no evento versaram sobre as questões da docência em língua estrangeira, notadamente em Inglês e Espanhol, além de promover discussões linguístico-discursivas no âmbito dos estudos da linguagem que instiguem reflexões e práticas da linguagem em uso e pedagógicas para os contextos de formação de professores em línguas estrangeiras. “Essa é mais uma oportunidade que estamos trazendo para o espaço acadêmico, para que os alunos e os futuros professores dessas línguas possam compartilhar experiências e conhecimentos”, frisou Daniela.

O diretor do Centro de Educação (CEDUC), professor Francisco de Assis Batista, destacou a importância da comunicação na história da humanidade e nos grandes inventos do mundo. A primeira atividade do Encontro foi uma mesa redonda com a participação dos professores Alberto Poza, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); Roberta Soares Paiva, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB); e Daniela Gomes de Araújo, da UEPB.

Em sua participação, professora Daniela destacou a necessidade de existir o diálogo entre os professores das línguas estrangeiras e ressaltou que, no panorama atual, os cursos de Inglês e Espanhol estão se fortalecendo em comunhão devido à sua importância internacional e o acesso às comunicações digitais. Para a professora da UEPB, os novos caminhos para a formação dos professores da área passam pela tecnologia e pelo uso dos recursos da semiótica.

Já a professora Roberta Soares Paiva falou sobre o papel das políticas linguísticas para a formação inicial dos alunos em línguas, visando torná-los mais preparados diante da formulação de documentos oficiais. Nesse contexto, Roberta fez questão de chamar atenção para o conhecimento da realidade local com a qual eles vivem. “No Brasil, essa dinâmica é muito deficiente entre as políticas linguísticas e a formação que os alunos recebem nas universidades”, observou. Basicamente, segundo ela, uma formação eficaz exige que seja levado em conta o conhecimento e os saberes dos professores a partir da experiência local.

Na sua participação, o professor Alberto Poza abordou uma reflexão sobre os lugares comuns e a visão que se tem do professor de Língua Espanhola que, segundo ele, difere um pouco do professor de Português. Ele ressaltou que o professor estrangeiro deve abordar o aprendizado de outra forma, refletindo sobre seu papel no Brasil e dentro da academia. Na visão do professor da UFPE, obrigatoriamente o professor de línguas deve dominar a língua estrangeira e ter profundo conhecimento da língua materna.

O evento contou ainda com minicursos, apresentação de posteres e com a palestra de encerramento sobre o tema central, com o professor Reinildes Dias, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O 2º Encontro de Formação de Professores em Línguas Estrangeiras contou com apoio do Departamento de Letras e Artes e da Coordenação do Curso de Letras da Instituição. O Grupo de Estudos em Formação Docente em Línguas Estrangeiras é registrado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) desde 2012 e está institucionalmente vinculado aos cursos de graduação em Letras/Inglês e Letras/Espanhol da UEPB, no Câmpus I.

Texto: Severino Lopes
Fotos: Givaldo Cavalcanti